Tag Archives: Horror

Clássicos do espaço sideral em seu bolso

A editora L&PM está expandindo seu catálogo de horror e ficção científica de bolso. Estão em pré-lançamento O Habitante da Escuridão e Outros Contos, de H. P. Lovecraft, e A Guerra dos Mundos, de H. G. Wells, em versão impressa e digital.

© L&PM Editores

A coletânea de horror de Lovecraft traz as histórias “Um sussurro nas trevas”, “A coisa na soleira da porta”, “A sombra projetada do tempo” e “O habitante da escuridão”. Três delas possuem elementos de ficção científica, com monstros cruzando o espaço e o tempo para habitarem a Terra, longe da vista de humanos.

O livro de Wells traz um conflito aberto entre marcianos e terráqueos, com os invasores destruindo boa parte da Terra sem muito esforço. A obra foi publicada inicialmente em 1897 e adaptada com sucesso para rádio e cinema.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Por que parei de divulgar lançamentos de livros no Brasil? Acho que o formato que usava, fuçar em absolutamente toda editora possível, era tão cansativo que acabei desistindo. Mas divulgar apenas uma ou outra obra, desse jeito aí, fica muito tranquilo e mais útil. Provavelmente irei retomar.

Acho que nunca tinha colocado Wells e Lovecraft lado a lado antes, mas os dois têm muito em comum. Além de ambos escreverem ficção científica, Wells também usa elementos de horror em seus livros, retratando o desespero da humanidade perante ameaças do espaço ou do futuro; Lovecraft faz o mesmo, mas de modo muito mais intimista, caracterizando o horror propriamente dito.

Ainda estou para encontrar melhor presente casual que um livro de bolso (principalmente dessa editora, que costuma contemplar alguns escritores mais alinhados ao meu interesse, e não apenas clássicos literários). Não são tão caros quanto os regulares, geralmente são de obras antigas o que dá uma ideia de onde você está se metendo, e se o recebedor não gostar, são fáceis de esconder em alguma gaveta e esquecê-los lá.

Presentear Lovecraft então, é uma oportunidade perfeita para revelar seus interesses aos colegas de trabalho sem precisar ficar explicando e dando exemplos, ou mesmo converter novatos incautos. Do catálogo da L&PM, eu recomendaria O Medo à Espreita e Outras Histórias, pela seleção variada de contos (e diria para começar por O Forasteiro, melhor ponto de partida para ler este autor, em minha opinião) ou esse que estão lançando acima, pela capa icônica, apesar de conteúdo mais exótico.

Pela breve pesquisa que fiz, parece que não incluíram O Chamado de Cthulhu em nenhum de seus livros ainda. Mas que horror. EDIT: Ah, lançaram sim… mas o nome do autor está errado e não aparece na página dele!

Fonte: Newsletter L&PM Editores

Tagged ,

Novidades de Secret World Legends têm data

Secret World Legends ganhou um roteiro de desenvolvimento atualizado, com novidades pelos próximos seis meses no mínimo. O MMORPG de horror moderno foi relançado no mês passado, agora com acesso gratuito e modificações no combate e nas habilidades. Alguns mapas antigos serão liberados nos próximos meses, e conteúdo inédito chega na sequência.


© Funcom

Ainda este mês a Transilvânia reaparece para os jogadores, com os mapas de Tóquio sendo nos dois meses seguintes, e a Torre Orochi fechando a história principal.

No final do ano e/ou início do próximo, estréiam: Dark Agartha, versão do mapa místico que conecta o mundo, desta vez com inimigos; um sistema para liderar uma equipe de agentes novatos da sua facção; e a continuação da trama do jogo, com um novo país disponível.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Tenho a impressão que será a Itália, mais precisamente Veneza. Acho que há alguns anos mencionaram que seria o caso, mas posso estar confundindo com a presença do Conselho de Veneza em missões especiais.

Já temos os EUA, Inglaterra e Coreia do Sul como mapas para iniciantes, daí outras três cidades americanas, alguns mapas no Egito e outros na Transilvânia. Na sequência você iria para o Japão (nunca fui já que não comprei as atualizações na época) e empacava por lá aguardando mais conteúdo ou caçando itens em raids intermináveis.

Ou seja, América do Norte x2, Europa x2, Ásia x2, África x1. Caso não seja Veneza (Europa de novo?), torço por alguma cidade na América do Sul ou outra na África, de preferência África do Sul. Austrália e seus vizinhos também renderiam ótimas adições ao folclore de monstros do jogo.

Estou jogando SWL desde o final de semana anterior ao lançamento oficial, por ser usuário do jogo antigo. Entrei em um Cabal meio quieto/fraquinho (preciso trocar em breve), e estava refazendo toda a trama principal. Ela está bem idêntica ao que lembrava, o que me deu uma desanimada feia – mas esse anúncio de mais conteúdo e finalmente ter entendido melhor o funcionamento dos poderes me motivou a continuar.

Não tenho encontrado os mapas lotados como esperava, mas acho que isso é culpa da mudança na arquitetura de servidores, colocaram menos gente junta propositalmente. Nas duas vezes que utilizei a janela para realizar as missões de grupo consegui uma resposta rápida, e um resultado razoável, mesmo tendo feito um serviço medíocre como healer (estou providenciando equipamento adequado!).

Apesar de ser uma versão requentada de The Secret World, estou me divertindo quase tanto quanto da primeira vez que joguei – e os combates são bem menos frustrantes e muito mais rápidos.

Site oficial: https://secretworldlegends.com/

Tagged

Castlevania mostra potencial do formato

Castlevania deve ganhar uma segunda temporada com o dobro de episódios, já no ano que vem. Os quatro iniciais foram publicados no serviço de streaming Netflix na semana passada, com Richard Armitage (O Hobbit) dublando o protagonista Trevor Belmont.

Pelo trailer achei que fosse um lixão – me surpreendi!
© Shankar Animation

A animação é baseada no jogo Castlevania III: Dracula’s Curse, de 1990, trazendo o famoso vampiro ameaçando destruir a Valáquia (atualmente parte da Romênia) em busca de vingança pela morte de sua esposa. O último Belmont vivo acaba se unindo a alguns aliados improváveis para impedir o avanço de um exército de monstros pela Europa.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Castlevania 3 sempre foi o meu jogo. Costumávamos alugar o cartucho ocasionalmente (algo que não faz muito sentido considerando a necessidade de salvar seu progresso, mas naquela década era totalmente aceitável) e eu simplesmente adorava o formato, trama, e o melhor de tudo, os personagens extras.

Quando a Sypha Belnades aparece no desenho animado (spoilers!) sorri de orelha a orelha. Finalmente algo que aproveita nostalgia, mas também consegue trazer qualidade própria. Fiquei até o último minuto esperando o Grant Danasty dar as caras, mas aceito que sua presença fique reservada para a próxima temporada.

A animação é boa, com destaque para a luta no último episódio. Os monstros não se movimentam muito bem, exceto pelo ciclope, e a paleta de cores podia ser um pouco mais ampla que marrom e vermelho, mas em geral, a qualidade técnica é positiva.

Os diálogos do Warren Ellis beiram o anacronismo, mas acho que não ultrapassam a barreira da credibilidade. O Trevor é um pouco descolado demais, mas quando fica sério é convincente; e o sotaque da Sypha ficou um charme.

Mas nem todo mundo ficou tão bom. As motivações do vilão humano são fraquinhas (provavelmente refletem demais a opinião do autor quanto à organização que ele representa – ninguém nela presta?), e o seu desfecho, anticlimático, deslocado. Espero que reapareça na próxima temporada, de alguma maneira.

Quero ver se conseguem encaixar o bumerangue e… o relógio que congela o tempo já existia nesse jogo?

Fonte: Coming Soon

Tagged

Novo Death Note reaproveita deus da morte e caderno

A Netflix divulgou o primeiro trailer de Death Note, sua adaptação do mangá de mesmo nome. Nesta versão a trama se passa nos EUA, com um estudante local encontrando o caderno com o poder de matar qualquer pessoa cujo nome seja escrito em suas páginas. Após a chacina se tornar óbvia demais, um exótico detetive é chamado para caçar o assassino que nunca se aproxima das vítimas.


© Netflix

O roteiro foi escrito por Charley e Vlas Parlapanides (com o filme de ação mitológica Imortais no currículo) e Jeremy Slater (um dos responsáveis pelo Quarteto Fantástico de 2015). A direção é de Adam Wingard, da continuação Bruxa de Blair lançada no ano passado. O nome mais conhecido no elenco é Willem Dafoe, como o shinigami Ryuk, aparentemente único personagem mantido idêntico à versão original.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Parece uma porcaria, mas não tenho essa impressão por tirarem a história do Japão – não me incomodo com adaptações estrangeiras que transportam a história para seu próprio país, faz muito mais sentido tanto econômica quanto culturalmente. Parece ruim porque descartaram as personalidades dos personagens principais por estereótipos batidos. O incrivelmente inteligente e megalomaníaco Light virou um adolescente oprimido e deprimido. Sua namorada celebridade inocente com um lado sombrio virou uma adolescente deprimida. E o esquisito e fascinado L virou um rapaz esquentadinho, dando berros.

Mudam completamente a natureza dos personagens, mas mantém nomes e cacoetes. Se vão transformar o elenco tanto em aparência quanto em caráter, por que não criar uma história nova, aproveitando o mesmo universo? Esqueçam a briga de gato e rato de Light e L, joguem um Death Note nos EUA e partam desse princípio.

Provavelmente seriam criticados igualmente por ignorar o material original, mas evitariam as comparações e teriam um começo mais neutro. Até o momento as opiniões parecem ser favoráveis somente quanto ao Ryuk, o resto está sendo achincalhado. Pelo menos as acusações de “white washing” estão mais contidas agora do que com Ghost in the Shell. Pertencer ao Netflix, queridinho dos cineastas independentes/sem dinheiro, pode ser um atenuante.

Fonte: io9

Tagged

Conan enfrenta um gigante vermelho

Está disponível Conan the Slayer # 10, revista mensal de Conan, o Bárbaro, popular personagem de Robert E. Howard. A história em quadrinhos está adaptando o conto The Devil in Iron, com o cimério enfrentando uma ameaça que aparenta ser indestrutível. Roteiro de Cullen Bunn, com arte de Sergio Davila e cores de Michael Atiyeh. São 32 páginas por US$ 3,99

Adorei os comentários da dama em perigo
© Dark Horse Comics

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

E não esqueça de clicar na capa para conferir a prévia gratuita do mês, e ver como é o tal Devil in Iron, o Khosatral Khel – ficou bem bacana, em minha humilde opinião.

A vantagem de adaptar os contos do Howard, ao invés de ficar inventando como a Marvel fazia, é que a essência de Conan acaba sendo preservada. Então temos histórias elevando a pura força moral e física do personagem, como um contraponto à civilização e ao horror sobrenatural/medo irracional. É o exemplar de ser humano que cresceu em contato somente com a natureza, contra os homens influenciados pela cidade e/ou pelo sagrado. Mas que também adora mulheres e bebida.

No ano passado finalmente resolvi explorar um pouco mais da obra do Howard, além de Conan, Solomon Kane e Kull, seus guerreiros com princípios. Baixei duas coletâneas de Breckinridge Elkins em áudio no Librivox (gratuitas), sobre um cowboy inocente e brutamontes, que se envolve em todo tipo de problemas com a lei, vizinhos e parentes, simplesmente por ter que fazer a coisa certa, seja ela defender sua honra ou conseguir uma noiva. Não imaginava que o autor pudesse ser tão engraçado e criativo, principalmente com um cenário restrito desses. Excelente material.

Agora estou de olho nas suas histórias de pirata – e preciso dar uma olhada no conto que inspirou a criação da Red Sonja também.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged ,

Drácula vai ser adaptado por dupla de Sherlock

O canal inglês BBC está desenvolvendo um seriado inspirado na obra Drácula, do escritor Bram Stoker. Estão encarregados da empreitada Steven Moffat e Mark Gatiss, parceria bem sucedida na adaptação de outro clássico literário, Sherlock Holmes. A dupla deve ficar responsável apenas pelo roteiro, e detalhes ainda não foram revelados.

34715051284_fdd11b3a1a_z
© L&PM Pocket

As aventuras modernas do detetive particular britânico estão disponível no Brasil para assinantes do Netflix, com o próprio Gatiss no elenco como Mycroft Holmes.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Ainda é pura especulação, mas há uma possibilidade que atualizem esse Drácula do mesmo jeito que fizeram com Sherlock – ou seja, um vampiro usando celular o tempo todo. Mas você não precisa nem imaginar como o conde Vlad se viraria nos tempos modernos, basta assistir ao documentário fajuto O Que Fazemos nas Sombras. O filme acompanha um grupo de vampiros com séculos de existência dividindo uma casa e tentando se adaptar às conveniências modernas.

Mas outra história de peixe fora d’água usando um vampiro? Acho que deviam fazer exatamente o oposto: continuar a história do livro e mostrar o Drácula praticamente dominando o mundo moderno com seus séculos de experiência e tempo para planejar. Sei que isso também já foi feito, mas não tanto à exaustão quanto as outras possibilidades.

E chega de ficar imaginando, que o programa está tão verde que nem consta no IMDb ainda. Talvez sequer aconteça! E se acontecer, lá por 2019, no mínimo. Bastante tempo para encontrarem um ator romeno para protagonizar, o que seria realmente inovador.

Fonte: Bleeding Cool

Tagged

Os 7 melhores trailers da E3 2017

Dezenas de trailers de jogos inéditos ou com novidades sobre títulos já anunciados foram divulgados durante a E3 2017, realizada este mês. Confira abaixo alguns dos vídeos que se destacaram:

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

E como eu estava de férias na semana passada, perdi a chance de rechear o período com o jogo mais interessante do dia; mas fica aí em cima o resumo de minhas preferências.

The Last Night tem um belo trailer, mas resta saber se merece o destaque que está recebendo (incluindo os holofotes do Xbox e da militância feminista). Jogo um bocado de RPGs com visual de 8 bits, e não consigo imaginá-los sendo tão dramáticos quanto esse.

The Evil Within 2 e Call of Cthulhu me deixaram com mais vontade de jogar Secret World Legends, que será lançado somente na próxima semana.

Wolfenstein e Detroit vem carregados de conteúdo político e meio que se complementam. No primeiro os inimigos são nazistas, no segundo os humanos são todos nazistas. Ótima mensagem!

Marvel’s Spider-Man é um deslumbre. Mas se reparar bem, dá a impressão que você está assistindo um cinematic e precisa apertar alguns botões de vez em quando para manter o filme rolando. Quanta liberdade de movimento você realmente tem? Me parece que apenas o movimento anterior ao primeiro combate, nas vigas, ficou ao gosto do freguês, no resto do tempo, é apenas um espectador.

Anthem é um simulador de Homem de Ferro + dinossauros no futuro. Visual caprichado, mas como jogo não se destaca de outros títulos de tiro futurista, me vindo à cabeça Halo e Crysis. Talvez a capacidade de voar seja o suficiente? Apesar de Tribes ter feito isso há um bom tempo? Faltou aquele toque especial da BioWare… talvez no próximo trailer.

Fonte: Basicamente canais dos produtores e distribuidores dos jogos no Youtube

Tagged , ,

Combate com mira e mini-jogos em Secret World Legends

Secret World Legends refez totalmente o combate em relação ao seu predecessor, The Secret World. A novidade é um dos carros-chefes na divulgação do jogo, que será lançado no dia 26 deste mês, gratuitamente. Além de uma “mira”, todos as armas e poderes foram refeitos, ganhando novas mecânicas individuais. Esses aspectos são detalhados no vídeo mais recente do título:


© Funcom

Um MMORPG de horror moderno, onde os jogadores controlam pessoas com superpoderes que enfrentam todo tipo de ser mitológico e lenda urbana, desvendando conspirações globais – essa é a premissa do jogo original, mantida na nova versão.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Confesso que ainda estou apanhando para entender esse “reticle combat”. Pelo que pesquisei é simplesmente incluir uma mira que talvez trave em um alvo, ou mude de formato ao passar na frente de um alvo possível. Achei que o TSW já tinha isso, mas não confiarei em minha memória para afirmar tanto – se não tivesse desinstalado há meses era só verificar. Enfim.

Estou gostando das novidades até o momento, nada escandaloso ou que vá aumentar absurdamente a popularidade do jogo (exceto pela gratuidade, claro), mas ao menos parecem melhorias. O combate era uma aporrinhação, e duvido que tenha piorado, por mais que estejam criticando os novos mini-jogos de cada poder. Se forem tão ruins assim, se livram deles, simples.

Mas uma coisa que realmente teria melhorado a experiência seria um pouco de reação aos ataques. Um homem-peixe de dois metros e meio de altura te acerta com uma pata maior do que você próprio, e o personagem continua lá disparando tiros de espingarda a queima roupa, sem piscar. Acaba com a sensação de ameaça. Mas isso provavelmente deixaria o combate ainda mais lento, ao interromper as animações dos ataques especiais.

Fonte: Funcom

Site oficial: http://www.secretworldlegends.com/

Tagged

Conan enfrenta uma bizarra cidade deserta

Chega ao mercado neste final de mês Conan the Slayer #9, adaptação em quadrinhos das aventuras literárias do popular bárbaro. Desta vez o protagonista esbarra em uma cidade perdida no meio das selvas de uma ilha evitada por todos, enquanto procura sua mulher. A revista custa US$ 3,99 e traz 32 páginas escritas por Cullen Bunn, desenhadas por Sergio Davila e coloridas por Michael Atiyeh.

34976892875_5bca7a9171_z
© Dark Horse Comics

A história sendo adaptada em Conan the Slayer atualmente é The Devil in Iron, escrita por Robert E. Howard em 1934, para a revista Weird Tales. Ela está em domínio público no Brasil, disponível pelo Project Gutenberg e em áudio pelo Librivox.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

E parece que a trama está a pleno vapor no campo sobrenatural, tendo deixado os piratas e as intrigas com a nobreza do outro lado do mar. Tenho que elogiar a arte do Sergio Davila nessa prévia disponível acima. A página inteira com o Conan olhando para a cidade fantasma ficou excelente, passando tanto a sensação de vazio quanto de imensidão – chegou a me dar vertigem. Magnífico trabalho!

Não tenho certeza quanto a necessidade de ficar descrevendo tão detalhadamente tudo que se passa na cabeça do bárbaro, sendo que suas vontades ficam bem óbvias nas expressões e ações. Como isso aparece em todas edições, deve ser um estilo do roteirista ou da editora. Podiam pegar um pouco mais leve.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged ,

Secret World recomeça no mês que vem

Secret World Legends será lançado em 26 de junho, informa a empresa Funcom. A nova versão gratuita de The Secret World mudou o sistema de combate e o modo de distribuição de mapas: ao invés de colocar todos os jogadores no mesmo lugar, agora cada pessoa ou grupo irá explorar um cenário por conta própria.


© Funcom

Outras mudanças incluem as armas/poderes mais simplificados, equipamentos, sistema de crafting, roupas e visual, novo tutorial e “classes” para orientar os iniciantes. E de acordo com a página oficial, vão finalmente lançar a segunda temporada da história principal.

Secret World é um MMO de horror moderno, onde os jogadores utilizam poderes sobrenaturais para combater criaturas, lendas urbanas e todo tipo de conspiração imaginável. A história começa com zumbis em uma pequena cidade americana e leva os personagens ao antigo Egito, Transilvânia e Tóquio.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

O que? Já? Achei que iam segurar o beta fechado até o Natal pelo menos, nunca teria imaginado um lançamento comercial já no primeiro semestre. Estou ansioso para retornar a esse mundo, um sopro de ar fresco no meio de intermináveis MMOs de fantasia.

Aprovo todas as mudanças anunciadas até agora, e se conseguirem deixar o combate menos horrendo, já resolvem 90% dos problemas da versão original. Há um número razoável de detratores resmungando quanto ao “abandono” do jogo anterior, da inclusão de “instances”, de ter que começar personagens do zero… esse povo não deve entrar em TSW há anos. O treco está abandonado.

Fonte: Funcom

Site oficial: https://secretworldlegends.com/

Tagged