Category Archives: Quadrinhos

Witcher em quadrinhos ganha terceiro volume

O selo Pixel da editora Ediouro lança no final deste mês Witcher – A Maldição dos Corvos, coletânea em quadrinhos baseada na franquia de jogos eletrônicos. A HQ é protagonizada por Geralt de Rivia e sua aprendiz Cirilla Fiona Elen Riannon, ambos caçadores de monstros conhecidos como “witchers”. São 128 páginas em formato 26 cm x 17,5 cm, pelo preço sugerido de R$ 44,90. O roteiro é de Paul Tobin e a arte de Piotr Kowalski.

Pegaram a capa mais fraquinha
© Pixel

A editora já publicou outras duas coletâneas da saga witcher, Os Filhos da Raposa e A Casa de Vidro, ambos de Paul Tobin com arte de Joe Querio.

Os livros estão disponíveis no Brasil pela Editora Martins Fontes, e os jogos podem ser adquiridos pelo site Steam.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

E apesar do título, o monstro principal, pela sinopse das cinco edições originais, é um striga, espécie de lobisomem, e não um monte de corvos.

Li alguns livros da franquia Witcher e joguei um pouco do primeiro jogo – ela aproveita mitologia europeia influenciada pelo Tolkien, mas com o pé muito mais firme no chão. Ou seja, todo mundo é meio babaca ou cafajeste, e raramente você encontra uma situação clara de bem contra o mal. Geralt é obviamente um herói para o leitor, mas em seu mundo ele é apenas um monstro menos perigoso que os demais, tolerado por se livrar de incômodos bizarros.

Dei uma parada na leitura por dois motivos: o último volume que li, acredito que foi O Sangue de Elfos, não passa de um prelúdio gigante para os livros seguintes, sendo bem lento e desapontador; o outro motivo é que são muito caros, especialmente com o dólar tão valorizado. Na verdade, sairia mais barato comprar algumas das edições impressas que vi na Saraiva do que a versão digital na Amazon americana.

Como consequência, a única Ciri que conheço é a pirralha recém encontrada por Geralt, atualmente sendo treinada para usar seus poderes absurdos. Enquanto isso, todo os fãs da franquia em versão videogame conhecem ela como a witcher capaz de se teleportar e trucidar monstros com eficácia sem igual. Dá vontade de retomar a leitura e ver se ela acaba assim no original também, mas minha carteira chora em desespero só de pensar. E não baixam o preço de modo algum.

Fonte: Pré-vendas da Saraiva

Advertisements
Tagged ,

O Corvo em quadrinhos ganha compilação caprichada

A editora Darkside Books anunciou uma versão nacional de O Corvo – Edição Definitiva, prevista para junho deste ano. A história em quadrinhos foi escrita e desenhada por James O’Barr nos anos 1980, sobre um espírito de vingança que volta dos mortos. O preço sugerido é de R$ 59,90.

Deviam fazer um bundle com a trilha e o primeiro filme
© Darkside Books

A publicação tem 272 páginas e formato de 26,6 cm por 17,6 cm. Estão inclusas 30 páginas de artes inéditas, criadas pelo autor para esta compilação.

A HQ foi adaptada para os cinemas em 1994, utilizando o mesmo nome. A produção ficou conhecida principalmente pela morte acidental do protagonista, Brandon Lee, durante as filmagens.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

E também pela magnífica trilha sonora dos anos 90, eu diria. Ouvi o treco até quase desgastar o CD, e se bobear ainda tenho ele jogado em algum canto por aqui. Assisti ao filme uma tonelada de vezes, na época em que você alugava uma fita e fazia uma cópia usando dois videocassetes. Puro combustível para adolescência.

Sabia da existência dessa HQ, acho que até vi uma edição mensal publicada em algum ponto nas décadas seguintes ao filme, mas sempre em um número no meio do caminho. E pelo jeito a distribuição era limitada, pois nunca encontrei edições usadas na época em que comprava quadrinhos em sebos.

Hoje em dia provavelmente acharia o treco deprimente. Pelas amostras nas buscas por imagens a arte é o que você esperaria de uma produção da época: um pouco grosseira, anatomia anormal nos momentos de ação, e ótimos close-ups.

Fonte: Pré-vendas da Saraiva

Tagged ,

Conan volta para a Marvel no ano que vem

A Marvel Comics voltará a publicar histórias em quadrinhos de Conan, o Bárbaro, a partir de 2019. O anúncio foi feito pela editora, que adquiriu os direitos de licenciamento da Conan Properties International após o personagem passar mais de uma década na Dark Horse Comics. Detalhes sobre os artistas e roteiristas devem ser divulgados futuramente, segundo o press release.

Alguém metralhou o bárbaro?
© Marvel

A editora publicou quadrinhos de Conan entre as décadas de 60 a 00, e é considerada responsável em grande parte por manter o interesse do público no personagem, criado em 1932 por Robert E. Howard. A primeira aparição do cimério foi no conto “A fênix na espada”, publicado na revista Weird Tales.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Pararam de publicar Conan em agosto e nem reparei? Pior, encerraram a carreira dele em um crossover com a Mulher Maravilha, algo que faz pouquíssimo sentido – ela consegue brigar com o Super-homem, nada no universo de Conan representa qualquer ameaça a ela.

Comprei uma coletânea da Mythos Editora com essas histórias iniciais do bárbaro na Marvel Comics, e o treco é osso duro. Acho que a única coisa que aproveitam dos contos são os nomes dos personagens e dos locais, o resto é uma viagem na maionese inacreditável. Melhoraram bastante com as décadas, mas é incrível terem persistido depois desse material bizarro.

Além da interessante capa acima, com um Conan bem mais esguio que o normal, também soltaram uma composição do Mike Deodato que inclui Wolverine e Thor. Urgh. E quanto à agenda politicamente correta da empresa, tente imaginar no que isso vai dar!

Mas mantendo-me positivo quanto à novidade, imagino que a Panini vai começar a publicar o Conan da Marvel por aqui, o que facilita bastante o acesso. Seria bacana se o acordo também incluísse direitos cinematográficos, mas eles obviamente estão nas mãos de outras pessoas, vide os horrendos rumores sobre um Conan 3 novamente com o Arnold. Me contentaria com aquelas animações da Marvel que publicavam direto em DVD ou algo assim – principalmente se começassem pela Torre do Elefante.

Fonte: Syfy

Tagged ,

Conan entra em uma missão secundária

Conan the Slayer #12 está à venda, desta vez com uma ameaça diferente. Após o demônio de pele de ferro das edições anteriores, o bárbaro encontra uma tribo de canibais e, possivelmente, um morto-vivo. São 32 páginas por US$ 3,99, com roteiro de Cullen Bunn, arte de Dheeraj Verma e cores de Michael Atiyeh.

Prévia mais fraquinha da série até agora
© Dark Horse Comics

O cimério foi criado originalmente nos contos de Robert E. Howard, no início do século passado. Reencontrou sua popularidade como uma história em quadrinhos na Marvel Comics, passando daí a filmes, séries e desenhos animados. Atualmente sobrevive apenas na Dark Horse Comics, mas a maioria de suas histórias literárias está em domínio público.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

No Brasil, ao menos, que nos EUA as leis de direitos autorais são uma insanidade, com variadas cláusulas de renovação. Aqui é 70 anos após morte e acabou-se.

Essa inclusão de canibais e pelo menos um ghoul me pareceu meio estranha, então resolvi dar uma fuçada no conto original. Fiz um ctrl+f e não encontrei nenhuma das palavras chave óbvias, o que indica que estão dando uma esticada na adaptação. Porque, convenhamos, ficou muito deslocada a presença dessa tribo de goblins em uma ilha supostamente deserta e amaldiçoada. Mas não vou confirmar ou negar qualquer possibilidade antes de uma leitura completa.

O artista, apesar do nome magnífico, desenhou o bárbaro de um modo peculiar, reduzindo e redistribuindo sua massa muscular. Imagino quanta liberdade dão para o desenhista nessa editora, ou se insistem para que fujam do padrão propositalmente, em uma tentativa de criar algo mais “artístico”. Meh.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged

Conan lidando com um monstro invulnerável

Está disponível Conan the Slayer #11, edição mais recente da revista mensal de Conan, o Bárbaro. A publicação atualmente adapta o conto The Devil in Iron, escrito pelo criador do personagem, Robert E. Howard, sobre uma monstruosidade com pele de ferro habitando uma cidade mística.

Capa esquisita – pode ser a cor verde usada com exagero
© Dark Horse Comics

São 32 páginas pelo preço de US$ 3,99, escritas por Cullen Bunn, com arte de Sergio Davila e cores de Michael Atiyeh. Clicando na capa acima você pode conferir uma prévia gratuita no site da editora.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Alguém passou em seu teste de Perception! Provavelmente com um bônus de +5 devido a sonhos proféticos!

É impossível não admirar a praticidade de Conan em uma típica situação de fantasia heroica: o chefe do mapa está solto, vagando por aí, você encontra a única arma capaz de atravessar sua resistência a dano absurda, e o que faz? Dá no pé levando a mocinha a tiracolo!

Obviamente alguma outra situação vai surgir exigindo que ele retorne para o confronto, ou o monstro vai cortar sua rota de fuga; mas poucos heróis fortes e corajosos conseguem ser tão pragmáticos quanto Conan, quando confrontado com algo sobrenatural.

Parece que a Mythos está com algumas novas coletâneas de material da Dark Horse à venda. No momento estou ocupado adquirindo alguns soberbos mangas de ficção científica, então não será possível aumentar minha coleção de Conan. Mas ficarei de olho em ofertas futuras, ao menos.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged ,

Conan enfrenta um gigante vermelho

Está disponível Conan the Slayer # 10, revista mensal de Conan, o Bárbaro, popular personagem de Robert E. Howard. A história em quadrinhos está adaptando o conto The Devil in Iron, com o cimério enfrentando uma ameaça que aparenta ser indestrutível. Roteiro de Cullen Bunn, com arte de Sergio Davila e cores de Michael Atiyeh. São 32 páginas por US$ 3,99

Adorei os comentários da dama em perigo
© Dark Horse Comics

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

E não esqueça de clicar na capa para conferir a prévia gratuita do mês, e ver como é o tal Devil in Iron, o Khosatral Khel – ficou bem bacana, em minha humilde opinião.

A vantagem de adaptar os contos do Howard, ao invés de ficar inventando como a Marvel fazia, é que a essência de Conan acaba sendo preservada. Então temos histórias elevando a pura força moral e física do personagem, como um contraponto à civilização e ao horror sobrenatural/medo irracional. É o exemplar de ser humano que cresceu em contato somente com a natureza, contra os homens influenciados pela cidade e/ou pelo sagrado. Mas que também adora mulheres e bebida.

No ano passado finalmente resolvi explorar um pouco mais da obra do Howard, além de Conan, Solomon Kane e Kull, seus guerreiros com princípios. Baixei duas coletâneas de Breckinridge Elkins em áudio no Librivox (gratuitas), sobre um cowboy inocente e brutamontes, que se envolve em todo tipo de problemas com a lei, vizinhos e parentes, simplesmente por ter que fazer a coisa certa, seja ela defender sua honra ou conseguir uma noiva. Não imaginava que o autor pudesse ser tão engraçado e criativo, principalmente com um cenário restrito desses. Excelente material.

Agora estou de olho nas suas histórias de pirata – e preciso dar uma olhada no conto que inspirou a criação da Red Sonja também.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged ,

Conan enfrenta uma bizarra cidade deserta

Chega ao mercado neste final de mês Conan the Slayer #9, adaptação em quadrinhos das aventuras literárias do popular bárbaro. Desta vez o protagonista esbarra em uma cidade perdida no meio das selvas de uma ilha evitada por todos, enquanto procura sua mulher. A revista custa US$ 3,99 e traz 32 páginas escritas por Cullen Bunn, desenhadas por Sergio Davila e coloridas por Michael Atiyeh.

34976892875_5bca7a9171_z
© Dark Horse Comics

A história sendo adaptada em Conan the Slayer atualmente é The Devil in Iron, escrita por Robert E. Howard em 1934, para a revista Weird Tales. Ela está em domínio público no Brasil, disponível pelo Project Gutenberg e em áudio pelo Librivox.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

E parece que a trama está a pleno vapor no campo sobrenatural, tendo deixado os piratas e as intrigas com a nobreza do outro lado do mar. Tenho que elogiar a arte do Sergio Davila nessa prévia disponível acima. A página inteira com o Conan olhando para a cidade fantasma ficou excelente, passando tanto a sensação de vazio quanto de imensidão – chegou a me dar vertigem. Magnífico trabalho!

Não tenho certeza quanto a necessidade de ficar descrevendo tão detalhadamente tudo que se passa na cabeça do bárbaro, sendo que suas vontades ficam bem óbvias nas expressões e ações. Como isso aparece em todas edições, deve ser um estilo do roteirista ou da editora. Podiam pegar um pouco mais leve.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged ,

Conan é um cavalheiro

Está disponível Conan the Slayer #8, revista mensal do bárbaro cimério popularizado no cinema por Arnold Schwarzenegger. Nesta segunda parte da adaptação do conto The Devil in Iron, o oponente de Conan prepara sua armadilha enquanto a mocinha tenta conseguir vantagens de todos os lados.

33449327474_476fb136f8_z
© Dark Horse Comics

São 32 páginas por US$ 3,99, em edição impressa ou digital. O roteirista é Cullen Bunn, trabalhando com o desenhista Sergio Davila e o colorista Michael Atiyeh. Uma prévia está disponível clicando na capa acima.

O texto original está em domínio público e pode ser lido no Projeto Gutenberg, neste link (em inglês): http://www.gutenberg.org/ebooks/42209

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Acho que me enganei quanto às mudanças que a história em quadrinhos estava fazendo em relação ao conto. Tive a impressão, pela prévia gratuita do mês passado, que a trama principal já estava começando nas primeiras páginas, e que agora veríamos o Conan lidando com o monstro na ilha. Mas parece que somente agora a coisa está andando – o que será que era aquilo com os piratas então?

E preciso render uma homenagem a essa arte da capa, autoria de Admira Wijaya. Acho que nunca vi o Conan com um cabelo tão sedoso e com uma maquiagem tão bem aplicada. Poderia saltar dessa selva diretamente para um show do Poison.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged

Conan trabalha com piratas

Começa este mês uma nova história para Conan, o Bárbaro, na sétima edição de Conan the Slayer: The Devil in Iron. A revista em quadrinhos é publicada pela Dark Horse Comics, com roteiro de Cullen Bunn, arte de Sergio Davila e cores de Michael Atiyeh. São 32 páginas pelo preço de US$ 3,99, em formato impresso ou digital.

Conan está três vezes maior na capa do que no miolo
© Dark Horse Comics

Nesta adaptação de um conto original de Robert E. Howard, criador do personagem, Conan enfrenta uma criatura monstruosa presa em uma ilha. Enquanto a história trazia o bárbaro indo até o local atrás de uma mulher e daí esbarrando no problema, a HQ parece colocá-lo lá com propósitos financeiros e não românticos.

O texto está em domínio público e pode ser lido no Projeto Gutenberg, neste link (em inglês).

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Há uma prévia de seis páginas clicando na capa acima, e recomendo o tira gosto. O roteirista resolver substituir o grupo de pescadores gananciosos do conto por um grupo de piratas ardilosos (e gananciosos), e colocou para liderá-los um sujeito com ótimas tiradas e rápido no improviso. Caso não se revele ser o vilão humano da trama, será um bom parceiro para o taciturno e às vezes mal humorado cimério.

Atualmente ando em um ânimo cyberpunk, motivado por um manual de RPG (atrasado três meses já), alguns mangás e livros do gênero; ou seja, fantasia anda jogada para escanteio, incluindo as HQs do Conan. Não compro uma da Mythos Editora desde o ano passado, após duas decepções em sequência: Conan vs. Groo e uma coletânea das primeiras histórias do Conan na Marvel. A primeira erra completamente a natureza do personagem, parecendo ter sido escrita por alguém que ouviu falar do Conan por um amigo de um cunhado que leu uma revista nos anos 90. E a segunda é simplesmente bobinha demais, com tramas ignorando a estrutura e a mitologia do mundo do personagem, inventando situações que não fazem sentido algum – obviamente foram escritas antes do cenário estar bem definido, ou ao menos ser mais bem conhecido pelo público. E gastei uma bela grana nelas.

Acho que vou continuar meu foco em ficção científica, que está me saindo bem mais barata, e voltar ao Conan somente quando alguém lançar esse material do Bunn por aqui. Tinha interesse na revista anterior que publicaram, mas, pelas resenhas, acho que tomaram algumas liberdades criativas com o cimério que não me agradariam.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged ,

Conan e o gigante de fogo

Está à venda Conan the Slayer #6, edição de janeiro da revista mensal do bárbaro cimério. Neste número, o protagonista conclui a primeira saga da publicação, sobre uma guerra entre dois irmãos pelo controle de uma tribo de mercenários nômades do deserto. O roteiro é de Cullen Bunn, com arte de Sergio Davila e cores de Michael Atiyeh. São 32 páginas por US$ 3,99, em formato impresso e digital.

32595053826_f3d579aeaa_z
© Dark Horse Comics

Clique na imagem acima para conferir uma prévia da revista.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Que sanguinolência, tripas e tinta vermelha para todo lado. Há tempos não via um Conan tão violento e gosmento assim! Acho que é isso que acontece quando colocam um roteirista de horror para escrever ação e aventura – só imagino o que o Bunn devia fazer com os X-Men.

E parece que ele entende razoavelmente bem do personagem. Enquanto enfrentando assassinos ou exércitos, a reação do Conan é de puro profissionalismo, ou vai matar todo mundo, ou vai escapar se as chances não forem boas. Mas ao se deparar com o sobrenatural, seu espanto é paralisante. Até que se recupera e mata o monstro a espadadas.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged
Advertisements