Category Archives: Games

Path of Exile dedica dezembro aos veteranos

O MMORPG Path of Exile vai ganhar outra expansão em dezembro. War for the Atlas é voltada para o público veterano, e permitirá aos jogadores decidirem os rumos de uma guerra entre duas entidades. O conteúdo principal se passa no sistema Atlas of Worlds, um conjunto de mapas para personagens de nível mais alto.


© Grinding Gear Games

O jogo é gratuito, com venda de equipamentos para bancar seus custos de manutenção e desenvolvimento. PoE tem 7 classes iniciais, com outras 19 secundárias. Todos personagens têm acesso aos mesmos poderes passivos, enquanto os ativos precisam ser encontrados e equipados em itens.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Diabloclone mais bem sucedido atualmente (talvez mais que o próprio Diablo 3, hoje em dia), Path of Exile é um mistério para mim. Tendo jogado somente em níveis baixos com dois ou três personagens, abordar esse material de alto nível é como descrever um jogo totalmente diferente.

Ele começa tão pé no chão, com o personagem pé-rapado sobrevivendo de escambo, juntando tudo quanto é lixo e sempre com falta de espaço no inventário. Mas depois o treco parece ficar bem metafísico, com sistemas de mapas desafiando a realidade, divindades se metendo na trama. É estranho ver um jogo passando de low para high fantasy desse jeito – como nunca cheguei perto dos níveis médios, não sei como é a transição. E pior que, se for voltar a jogar agora, provavelmente iria começar com um personagem novo. Não estava muito entusiasmado com meu templário.

Por falar em MMORPGs, Secret World Legends sofreu uma reviravolta brutal em seu sistema de equipamentos na semana passada. Basicamente trocaram tudo por algo bem mais simples e customizável. Ficou muito mais fácil jogar sozinho, o que não deixa de ser o principal problema do título: você não encontra ninguém nos mapas, apenas em dungeons. E lá é apenas quebra-quebra, nada de papo-furado. É divertido, mas repetitivo.

Fonte: MMORPG.com

Site oficial: https://www.pathofexile.com/game

Advertisements
Tagged

Estúdio anuncia MMORPG steampunk para 2018

A criadora dos jogos online Tera e PlayerUnknown Battlegrounds vai lançar um novo MMORPG intitulado Ascent: Infinite Realm, com um beta test previsto para o ano que vem. De acordo com a divulgação, o cenário irá combinar fantasia com steampunk, e se dividir em combates terrestres ou aéreos, usando robôs gigantes e navios voadores.


© Bluehole Studios

Uma das palavras-chave no texto de divulgação é “customizável”, enfatizando que tanto as cinco classes de personagens quanto seus veículos poderão ser modificados. Também destacam uma modalidade de duelo entre facções de jogadores, em que enormes grupos irão se alternar na defesa e ataque.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Acho que Bluehole é uma daquelas piadas que parece hilária no momento de sua composição, mas que ao longo dos anos só te faz morrer de vergonha. Fenômeno muito comum na hora de escolher nome de guildas ou clãs.

Ascent: Infinite Realm é uma baderna cheia de movimento e barulho, provavelmente chamativa para o público jovem (10 a 40 anos). Achei parecida com a maioria dos MMOs asiáticos lançados em anos recentes, mas como é do povo de Tera e PUB, vale a divulgação. Mesmo não jogando qualquer um destes, não ignoro suas existências – ou seja, a publicidade foi muito eficaz, ou há um grande público consumidor em ambos. Algo de correto estão fazendo.

Tentei encontrar um novo MMORPG nesse final de semana, mas no final das contas acabei jogando mais um pouco de Secret World Legends. As dungeons em grupo são divertidas, mas o grinding solitário de quests é de matar. Outra opção que ainda parece aclamada por público e crítica é Path of Exile, que acredito ter parado justamente devido ao grinding e isolamento, mais severo ainda devido aos mapas serem todos instances, exceto as cidades.

Pode parecer estranho para quem não conhece o gênero, mas me diverti mais jogando o RPG de mesa Starfinder com meus filhos por 2 horas do que a tarde toda de domingo fuçando MMORPGs no computador.

Fonte: Videogamer

Site oficial: https://www.airthegame.com/teaser

Tagged

Saldão de jogos eletrônicos no Halloween

O site de venda de jogos online Gog lançou sua promoção de Dia das Bruxas, com descontos em jogos e em pacotes de jogos. A oferta é válida até o dia 2 de novembro, e inclui uma cópia gratuita de Tales from the Borderlands para quem gastar mais de R$ 30 neste intervalo.


© Telltale Games

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Para não dizerem que sou parcial, a Steam também está fazendo um saldão de Halloween. Para quem gosta daquela joça, é outra opção.

Andei fazendo um estrago no orçamento internacional com os livros de Starfinder, então dificilmente conseguirei a cópia grátis de TftB. Provavelmente não comprarei nada! Basta olhar a longa lista de títulos que sequer abri no meu catálogo, que me desanimo a pegar o cartão. E olha que sou muquirana, só compro jogos com preço de um dígito (exceto pelos centavos), de preferência abaixo de cinco dólares.

Mas para quem não é materialista, estou vendo opções bacanas já de cara: Dead Space, Day of the Tentacle, Grim Fandango, e o Pacote Dungeons & Dragons. Esse último apenas se você estava vivo e não usava fraldas quando eles foram lançados inicialmente: são tão idosos que qualquer mente juvenil não será capaz de apreciá-los, sem o verniz do saudosismo embaçando a vista.

Fonte: Marketing da Gog

Site: https://www.gog.com/

Tagged , ,

Editora de Munchkin prepara novo jogo de cartas

A Steve Jackson Games (GURPS, Munchkin) está procurando financiamento para um novo jogo no site Kickstarter. Em Conspiracy Theory vários jogadores utilizam um baralho de 480 cartas para adicionar elementos a uma teoria da conspiração, procurando convencer os oponentes que a sua versão da história é a verdadeira.

Essa arte não ajuda em nada!
© Steve Jackson Games

A editora já conseguiu 80% dos 30 mil dólares que estão solicitando, com mais de duas semanas de financiamento ainda pela frente. Planejam vender o jogo somente nos EUA, devido ao peso do produto e o consequente custo elevado de frete.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Mencionam várias vezes que o Conspiracy Theory é voltado para a família toda, não “apenas para adultos”. Está certo que conspirações estão em alta nos EUA atualmente, e são um ponto sensível para a imprensa de lá, mas estava meio perdido quanto a essa ênfase na censura baixa do produto.

Descobri uma explicação nos comentários do Kickstarter. Aparentemente o jogo de cartas nesse estilo mais popular atualmente se chama Cards Against Humanity, e é todo ancorado em humor adulto (o que na verdade significa sexo e violência, e não complexidade – humor para adultos costuma ser bem juvenil!). Estão tentando se distanciar desse aspecto do concorrente, e possivelmente ampliar o público.

Obviamente vão conseguir o financiamento, mas parece que não vai ser tão graúdo quanto Dungeon Fantasy e Cars Wars (ambos acima de US$ 100 mil) ou o absurdo Ogre Designer’s Edition (quase 1 milhão de dólares). Imagino se a mera comparação com CAH afastou o público típico da empresa, meio avançado em anos, ou se é o próprio gênero que está exausto.

Fonte: Daily Illuminator

Tagged

Secret of Mana volta custando uma pequena fortuna

A Square Enix colocou em pré-venda seu remake de Secret of Mana, clássico RPG eletrônico dos anos 90, lançado originalmente para o Super Nintendo. A nova versão atualizou o visual, dublou os personagens e regravou a trilha sonora, além de ter modificado aspectos da jogabilidade, ainda não detalhados.

O trailer é ruim demais, mas a arte ficou ótima
© Square Enix

O jogo será lançado em 18 de fevereiro do ano que vem, para PlayStation 4, PS Vita e PC. Na plataforma de jogos digitais Steam já pode ser reservado por R$ 119,99.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Obviamente estou sendo ufanista, mas Secret of Mana provavelmente é o melhor RPG de videogame dos anos 90, disputando o pódio a tapas com Chrono Trigger. Em terceiro lugar Final Fantasy VI, sem qualquer concorrência. Depois é só povoar o resto da lista com Breath of Fire, outros Final Fantasy e talvez até Phantasy Star IV.

40 dólares por um remake é mais uma daquelas insanidades da Square Enix, repetida em todos os Final Fantasy antigos que relançaram. Se esse novo SoM tiver um modo multiplayer online (o antigo era um dos únicos jogos de SNES que aproveitava o adaptador para mais de dois controles), valeria sem dúvida 20 dólares, nem reclamaria em comprar e obrigar meu filho a comprar uma cópia também.

Mas 120 reais em um jogo eletrônico linear é simplesmente inconcebível para o meu pão-durismo ferrenho. Acho que nesta década gastei tudo isso somente em Diablo 3, e apenas porque pode ser jogado repetidas vezes, com modalidade diferentes de jogo online e dificuldade crescente opcional.

Depois de um (longo) tempo vão reduzir alguns dólares, mas acho que ainda não vi o montante cair abaixo da dezena, no caso dos Final Fantasy. E olha que adoraria testar o remake do VI. Quem sabe lá por 2030.

Fonte: Videogamer

Site oficial: https://www.secretofmanagame.com/en-us/

Tagged

Mais um jogo de franquia inspirada no Studio Ghibli

Ni no Kuni II: Revenant Kingdom ganhou um novo trailer, com cenas de combate e animações. O quinto jogo da franquia é protagonizado pelo jovem rei Evan, em uma missão para recuperar seu trono roubado, e deve ser lançado em janeiro do ano que vem. Até o momento o título foi anunciado para Windows e PlayStation 4.


© Bandai Namco Entertainment

Enquanto o original Ni no Kuni: Dominion of the Dark Djinn foi desenvolvido em parceria com o Studio Ghibli, este novo conta apenas com artistas da empresa de animação, especificamente na área de design de personagem e trilha sonora.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Só assisti a esse trailer acima, então é uma comparação meio torpe, mas a divulgação do primeiro Ni no Kuni causou um impacto bem maior. Provavelmente porque exploraram exaustivamente a parceria com o Studio Ghibli, enquanto agora a relação entre ambas empresas é tênue. Apesar de óbvia em pelo menos uma das cenas, quando a menina está carregando a espada em uma almofada.

Ficou a impressão de mais um RPG japonês genérico, usando uma dublagem constrangedora. É triste, mas começaram a divulgação com o pé errado.

Fonte: Videogamer

Tagged

Novidades de Secret World Legends têm data

Secret World Legends ganhou um roteiro de desenvolvimento atualizado, com novidades pelos próximos seis meses no mínimo. O MMORPG de horror moderno foi relançado no mês passado, agora com acesso gratuito e modificações no combate e nas habilidades. Alguns mapas antigos serão liberados nos próximos meses, e conteúdo inédito chega na sequência.


© Funcom

Ainda este mês a Transilvânia reaparece para os jogadores, com os mapas de Tóquio sendo nos dois meses seguintes, e a Torre Orochi fechando a história principal.

No final do ano e/ou início do próximo, estréiam: Dark Agartha, versão do mapa místico que conecta o mundo, desta vez com inimigos; um sistema para liderar uma equipe de agentes novatos da sua facção; e a continuação da trama do jogo, com um novo país disponível.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Tenho a impressão que será a Itália, mais precisamente Veneza. Acho que há alguns anos mencionaram que seria o caso, mas posso estar confundindo com a presença do Conselho de Veneza em missões especiais.

Já temos os EUA, Inglaterra e Coreia do Sul como mapas para iniciantes, daí outras três cidades americanas, alguns mapas no Egito e outros na Transilvânia. Na sequência você iria para o Japão (nunca fui já que não comprei as atualizações na época) e empacava por lá aguardando mais conteúdo ou caçando itens em raids intermináveis.

Ou seja, América do Norte x2, Europa x2, Ásia x2, África x1. Caso não seja Veneza (Europa de novo?), torço por alguma cidade na América do Sul ou outra na África, de preferência África do Sul. Austrália e seus vizinhos também renderiam ótimas adições ao folclore de monstros do jogo.

Estou jogando SWL desde o final de semana anterior ao lançamento oficial, por ser usuário do jogo antigo. Entrei em um Cabal meio quieto/fraquinho (preciso trocar em breve), e estava refazendo toda a trama principal. Ela está bem idêntica ao que lembrava, o que me deu uma desanimada feia – mas esse anúncio de mais conteúdo e finalmente ter entendido melhor o funcionamento dos poderes me motivou a continuar.

Não tenho encontrado os mapas lotados como esperava, mas acho que isso é culpa da mudança na arquitetura de servidores, colocaram menos gente junta propositalmente. Nas duas vezes que utilizei a janela para realizar as missões de grupo consegui uma resposta rápida, e um resultado razoável, mesmo tendo feito um serviço medíocre como healer (estou providenciando equipamento adequado!).

Apesar de ser uma versão requentada de The Secret World, estou me divertindo quase tanto quanto da primeira vez que joguei – e os combates são bem menos frustrantes e muito mais rápidos.

Site oficial: https://secretworldlegends.com/

Tagged

O necromante chega com vários presentes

Diablo III vai ganhar sua nova classe Necromancer na terça-feira (27), anuncia a Blizzard, desenvolvedora do jogo. A novidade irá custar US$ 14,99 e integra o pacote Rise of the Necromancer, que também inclui um animal de estimação, asas, novos detalhes para a bandeira pessoal e uma moldura de retrato, dois espaços para personagens novos e para o baú da conta. No PC, PlayStation 4 e Xbox One.


© Blizzard

Na mesma ocasião o jogo recebe a atualização 2.6.0, inaugurando uma modalidade de competição em que os jogadores podem comparar o tempo que demoram para completar um mapa, e alguns cenários novos.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

15 dólares? Tinha certeza que seriam apenas 10, que por sinal é o valor que vou esperar chegarem antes de pensar em comprar. Depois de algumas centenas de níveis com o Witch Doctor não estou exatamente motivado a investir em outro invocador de monstros. Provavelmente irei de monge na próxima temporada.

Acho que essa corrida para limpar rifts vai ter uma má aceitação pela comunidade, que até hoje não foi contemplada com um PvP de verdade. Vai apenas cutucar a ferida. Provavelmente estão guardando a modalidade para algo grandioso, talvez o patch 3.0. Acho que justificam o atraso com questões de balanceamento de poder entre classes, que obviamente é muito desigual, mas contornável. Bastava criarem um PvP sem regras e outros restritos a personagens da mesma classe, ou de natureza semelhante (bárbaros vs. monges, etc).

Fonte: D3 Blog

Tagged

Os 7 melhores trailers da E3 2017

Dezenas de trailers de jogos inéditos ou com novidades sobre títulos já anunciados foram divulgados durante a E3 2017, realizada este mês. Confira abaixo alguns dos vídeos que se destacaram:

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

E como eu estava de férias na semana passada, perdi a chance de rechear o período com o jogo mais interessante do dia; mas fica aí em cima o resumo de minhas preferências.

The Last Night tem um belo trailer, mas resta saber se merece o destaque que está recebendo (incluindo os holofotes do Xbox e da militância feminista). Jogo um bocado de RPGs com visual de 8 bits, e não consigo imaginá-los sendo tão dramáticos quanto esse.

The Evil Within 2 e Call of Cthulhu me deixaram com mais vontade de jogar Secret World Legends, que será lançado somente na próxima semana.

Wolfenstein e Detroit vem carregados de conteúdo político e meio que se complementam. No primeiro os inimigos são nazistas, no segundo os humanos são todos nazistas. Ótima mensagem!

Marvel’s Spider-Man é um deslumbre. Mas se reparar bem, dá a impressão que você está assistindo um cinematic e precisa apertar alguns botões de vez em quando para manter o filme rolando. Quanta liberdade de movimento você realmente tem? Me parece que apenas o movimento anterior ao primeiro combate, nas vigas, ficou ao gosto do freguês, no resto do tempo, é apenas um espectador.

Anthem é um simulador de Homem de Ferro + dinossauros no futuro. Visual caprichado, mas como jogo não se destaca de outros títulos de tiro futurista, me vindo à cabeça Halo e Crysis. Talvez a capacidade de voar seja o suficiente? Apesar de Tribes ter feito isso há um bom tempo? Faltou aquele toque especial da BioWare… talvez no próximo trailer.

Fonte: Basicamente canais dos produtores e distribuidores dos jogos no Youtube

Tagged , ,

Feira de jogos antigos e outros não tão velhos

O site de jogos clássicos e (alguns) novos Gog.com lançou sua promoção de verão deste ano, com duas semanas de descontos. Serão 1500 títulos com preços reduzidos individualmente ou em pacotes, variando diariamente e por gênero. Ao adquirir seu primeiro jogo na oferta, o usuário ganha automaticamente uma cópia de Rebel Galaxy, simulador de combate entre naves espaciais, lançado em 2015.

35077773711_2624fd491c_z
© Gog.com

Ao contrário de ofertas anteriores, em que cumprir “tarefas” na página rendiam pontos e liberavam mais jogos gratuitos, a promoção deste ano vem acompanhada de uma narrativa. Notícias são publicadas na página contando a história de um jogador em uma ilha misteriosa, com suas ações podendo ser decididas por votação e influenciando quais jogos entrarão em promoção na sequência.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Comprei o RPG Shardlight e o jogo de saltitar em plataformas Trine Enchanted Edition por uns três dólares no total – já instalei os dois, mas o Rebel Galaxy provavelmente ficará para mais tarde. Tenho umas boas experiências com o arcaico Freelancer, acho que nos anos 90, mas desde então nunca mais experimentei com esse gênero. Quando cansar de ficar clicando em todos objetos na tela ou segurando setas de esquerda e direita, quem sabe.

Essa ideia de contar uma fábula junto com a promoção me lembrou de uma análise de mercado que ouvi há alguns meses. Aparentemente “millennials”, a geração com mais de 20 e pouco menos de 30 anos, aprecia produtos que possuam uma história – por exemplo, um chocolate cuja embalagem relate onde foi colhido o cacau orgânico, de que modo artesanal e não poluente ele foi preparado, em qual veículo elétrico ele foi transportado até a pequena loja onde está a venda. Se o Gog está com uma ideia parecida, isso pode indicar que pretendem expandir sua clientela – que eu saiba, apenas velhos compram tranqueiras nostálgicas por lá, e a chance de ganhar mais jogos fazendo bobeiras era muito mais atrativa que qualquer narrativa, especialmente para quem está preocupado em não desperdiçar dinheiro, ou seja, pessoal dos 30 aos 40. Será que essa gurizada terá interesse em nossas velharias?

Enquanto isso fico me segurando para não comprar o primeiro jogo da série de remakes de Ys. Está barato, mas tenho tantos outros RPGs comprados e nem sequer experimentados. Que praga.

Fonte: Gog.com

Tagged ,