Monthly Archives: December 2017

MMORPG de Conan ganha servidor de temporada

Age of Conan vai ganhar um novo servidor com duração limitada a partir de 2018, anuncia a Funcom Games. De acordo com a empresa, personagens criados nesse “saga server” receberão recompensas únicas ao completar objetivos, e ao final do período estabelecido serão transferidos para o servidor Crom com seus prêmios (um personagem por conta). O MMORPG é gratuito, com venda de itens dentro do jogo.

Ah, os desertos de Turan... acho.
© Funcom

O sistema é semelhante ao de Diablo 3, da Blizzard, que realiza “temporadas” de alguns meses de duração, com várias tarefas específicas e recompensas exclusivas para os participantes. Assim como em AoC, ao final da temporada os personagens são adicionados aos demais criados previamente pelo jogador.

A Funcom promete mais detalhes em breve, e sugere aos usuários que se preparem para a próxima atualização, Saga of Zath, também em 2018.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Havia me esquecido de Age of Conan. Joguei provavelmente em 2016, e apesar de ter aproveitado tremendamente a área de iniciantes, assim que passei para os mapas abertos encontrei os mesmos problemas de sempre: tudo vazio, quests repetitivas, demais jogadores empacados em níveis altos fazendo raids. E pior que a área inicial é realmente boa, o que deixa o choque ao abandoná-la maior ainda.

Mas um servidor novo, se houver adesão significativa, resolveria a maioria desses problemas! É claro que isso vai depender das tais recompensas e o equilíbrio na dificuldade das missões para obtê-las.

Comecei a reinstalar o treco, mas os quase 20 gigas me desanimaram. E a página do jogo praticamente abandonada também não ajuda muito. Vou pensar melhor a respeito durante o recesso de final de ano.

Fonte: Newsletter de Age of Conan

Site oficial: www.ageofconan.com

Advertisements
Tagged

Filme traz roubo e elenco feminino milionários

Oito Mulheres e um Segredo, derivado da franquia Onze Homens e um Segredo, ganhou seu primeiro trailer. Sandra Bullock encabeça o elenco como a irmã do personagem de George Clooney, uma ladra igualmente habilidosa. Ela organiza um grupo de criminosas para roubar uma joia milionária durante um baile de gala, além de enfrentar outras complicações. Lançamento em junho de 2018.


© Warner Bros

Integram o elenco Cate Blanchett, Anne Hathaway, Sarah Paulson, Helena Bonham Carter, Rihanna, Mindy Kaling, Olivia Munn, Dakota Fanning, Katie Holmes e várias modelos. A direção e roteiro ficaram a cargo de Gary Ross (Jogos Vorazes), coescrito com a incógnita Olivia Milch.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

O trailer parece idêntico aos demais filmes da franquia. Talvez seja tão divertido quanto.

E parece que Hollywood aprendeu a lição após as Caça-Fantasmas do ano passado. Para evitar conflitos, marketing negativo, e reclamações de fãs idosos, ao invés de descartar o material original e substituir todos os personagens masculinos por mulheres, simplesmente fazem um derivado com todos os papéis principais ocupados por mulheres. Na prática é o mesmo filme, mas a polêmica foi desarmada.

Na pior das hipóteses, poderiam simplesmente lançar uma franquia original. Afinal de contas, não transformaram o Indiana Jones simplesmente em uma mulher – também trocaram seu nome para Lara Croft. E por aí vai.

Fonte: IMDb

Tagged

Novo filme de Peter Jackson traz cidades em busca de guerra

A distopia adolescente Mortal Engines acaba de ganhar seu primeiro trailer. A produção sobre cidades ambulantes em guerra tem roteiro de Peter Jackson, Philippa Boyens e Fran Walsh, equipe responsável pelas trilogias O Senhor dos Anéis e O Hobbit. A direção é do estreante Christian Rivers, frequente colaborador do grupo acima, mas como artista de storyboard. Lançamento em dezembro do ano que vem.


© Universal Pictures

Estão no elenco Hugo Weaving (Matrix) e Stephen Lang (Avatar). A atriz em destaque no vídeo é a islandesa Hera Hilmar, que deve fazer par romântico com o irlandês Robert Sheehan, protagonista, aparentemente ausente do trailer.

O longa é uma adaptação do primeiro livro da quadrilogia Mortal Engines. O primeiro volume foi lançado no Brasil em 2011, pela Editora Novo Século e atualmente está fora de catálogo.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Só eu achei meio idiota a ninja europeia precisar de uma luneta para enxergar a cidade mecânica gigantesca praticamente em cima do veículo deles? Não podiam ter incluído um vislumbre do treco a distância, e depois avançando em direção aos personagens, aumentando ridiculamente de tamanho?

O visual como um todo pareceu cartunesco, o que talvez seja de propósito. Pelas sinopses a franquia parece ser um conto de fadas contrário a governos, complexo militar-industrial, capitalismo, etc. Não foi muito empolgante, mas obviamente não sou o público-alvo deste gênero cinematográfico. Vou mostrar o vídeo para minha filha e ver o que acha – ela teve uma reação incrivelmente positiva ao visual da Battle Angel Alita. Se a impressão for semelhante neste também, isso significa que os estúdios têm uma noção muito melhor do que estão fazendo do que eu julgo.

Fonte: IMDb

Tagged

Atriz da Marvel e agora escritora policial

A editora Rocco vai lançar em 20 de dezembro A Fogueira, livro escrito pela atriz Krysten Ritter, conhecida como a protagonista da série Jessica Jones. Na história uma advogada ambientalista precisa retornar à sua cidade natal para investigar um caso de contaminação, possivelmente ligado a uma grande empresa. Lá começa a confrontar mistérios de seu passado, inclusive o desaparecimento de uma velha conhecida da época de sua adolescência.

Mas o que é a tal fogueira na trama?
© Rocco

São 288 páginas pelo preço sugerido de R$ 39,90 no formato impresso e R$ 25,90 pela versão digital.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Geralmente não divulgo lançamentos literários no gênero policial porque não conheço ninguém dos autores publicados na atualidade – costumo ler somente as velharias. Mas o nome me pareceu familiar, então resolvi averiguar e realmente é a Jessica Jones escrevendo um livro. Descontando a apelativa divulgação completamente pendurada nos talentos dramáticos da atriz, e se concentrando na sinopse: a premissa não é das piores, e gostei do nome da empresa vilanesca: Optimal Plastics (parece uma megacorporação em cenário cyberpunk).

Aproveitei para dar uma olhada na edição americana, lançada no mês passado (por que traduziram tão rápido para cá?), e encontrei algumas informações extras: a empresa é o centro financeiro da cidade, deixando as ações da protagonistas mais relevantes, já que as consequências podem afetar profundamente o local; e a existência de um ritual chamado “the game”, que “ameaça reputações e vidas na comunidade, e arrisca expor uma escuridão que pode consumi-la”. Americanos adoram demonizar cidades pequenas.

Atualmente o livro está com 4,1 estrelas de cinco possíveis. Entre as poucas resenhas negativas, críticas à personalidade da protagonista (reclamona) e uma à trama, que um leitor diz ser “obviamente escrita para se tornar um filme”. Considerando o histórico profissional da autora, faz sentido.

Fonte: Pré-vendas da Saraiva

Tagged

Cyberpunk entra na programação original do Netflix

O serviço de streaming de vídeo Netflix começou a divulgar Altered Carbon, sua nova série de ficção científica prevista para 2018. Joel Kinnaman interpreta Takeshi Kovacs, um soldado de elite no século XXV, cuja consciência é implantada em um novo corpo para investigar o assassinato/suicídio de um bilionário, interpretado por James Purefoy.



© Netflix

O programa é uma adaptação do livro Carbono Alterado, de Richard Morgan, disponível no Brasil pela Editora Bertrand. São 490 páginas pelo preço sugerido de R$ 49,90 na cópia física e R$ 34,90 na cópia digital.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Não lembro do desfecho do livro, e não o li há tanto tempo assim. Mas lembro-me de achar o Kovacs um péssimo investigador, pelo tanto de becos sem saída que encontrava, tangentes e confrontos desnecessários. E também das longas e detalhadas cenas de sexo, algo não exatamente agradável quanto se está consumindo a obra em formato de audiolivro.

Estão copiando bastante a estética de Blade Runner, apesar de o livro se passar em um período muito mais distante e avançado. Ele integra a onda cyberpunk, é verdade, mas não imagino que a Terra continue tão idêntica depois de 500 anos… faltou ousadia, pelo menos no estranho material de divulgação até o momento.

E logo o Kinnaman protagonizando? Muito fraco.

Fonte: Netflix no Youtube

Tagged

Exploração na natureza alienígena é cheia de híbridos

O filme Aniquilação ganhou novo trailer, com mais detalhes sobre a expedição científica dentro de uma área da natureza tomada por uma influência alienígena. Natalie Portman comanda a missão em busca de pistas sobre o que aconteceu com as pessoas que passaram por lá antes dela, com a companhia de Tessa Thompson (Thor 3) e Jennifer Jason Leigh (Twin Peaks). Lançamento em fevereiro.


© Paramount Pictures

Alex Garland (Ex Machina: Instinto Artificial) dirige e escreve, adaptando o livro de Jeff Vandermeer de mesmo nome, primeiro da trilogia Comando Sul, todos disponíveis no Brasil pela Editora Intrínseca.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Estava com a impressão que tinha visto o primeiro trailer no ano passado, mas em uma rápida busca encontrei-o meramente no final de setembro. Apesar do belo impacto visual, a divulgação tem sido muito tímida, provavelmente explorando o clima de mistério do longa.

Mas cometeram um pequeno engano aqui, ao focar tanto nos monstros meio genéricos. Um crocodilo com dentes de tubarão? Faria tanta diferença assim ao ser mordido? E o alce com crânio exposto? Que criativo. Dá para vislumbrar algumas ameaças mais metafísicas em alguns instantes, mas a impressão de “filme de monstro” derrubou o entusiasmo.

Fonte: Paramount no Youtube

Tagged ,

Vendas não-natalinas de jogos para PC

O site de venda de jogos online GOG acaba de lançar sua promoção de inverno, com descontos em vários títulos e prêmios atrelados à quantidade de dinheiro gasto. Para começar estão distribuindo Grim Fandango Remastered, adventure da Double Fine Productions sobre o mundo dos mortos mexicano, para qualquer pessoa inscrita no site. As ofertas vão até o dia 26 de dezembro.

24173927817_ed75ae0632_z
© CD Projekt

Além de adicionar jogos diariamente na lista de promoções, este ano também estão vendendo “estrelas”: pelo valor de US$ 1,57, os usuários podem comprar uma delas e ganhar um jogo aleatório, com valor entre 3,29 e 20,09 dólares.

Ao gastar um total de 15 dólares, o site premia o cliente com uma cópia de Hard West, e se chegar aos 40 dólares, o prêmio é Master of Orion. O montante inclui compras no GOG e no jogo de cartas Gwent, ambos da mesma empresa.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Como tenho pelo menos 20 jogos do GOG na minha pilha, não vou abrir a carteira este ano. Provavelmente. Mas mesmo quem não vai comprar nada já pode aproveitar o Grim Fandango, que se não me engano, geralmente custa 10 dólares.

Dei uma olha no Steam antes de divulgar esse saldão, mas parece que a venda deles começa um pouco mais tarde. Como utilizo o GOG muito mais, acabo esquecendo de divulgar a concorrência, e parece favoritismo. Mas na verdade é velhice mesmo.

Fonte: https://www.gog.com/

Tagged ,

Psionics Guide apresenta alguns elementos centrais

A editora Dreamscarred Press publicou a segunda parte de seu Psionics Guide, versão em testes de um manual compatível com o RPG de mesa Starfinder. Desta vez o livro traz poderes psiônicos e as regras para utilizá-los neste novo sistema, a habilidade Auto-hipnose, algumas façanhas inéditas, e a classe Specialist.

Já devem ter encomendado arte, mas nada ainda
© Dreamscarred Press

O personagem combina elementos de três outras classes psiônicas publicadas originalmente para o RPG de mesa Pathfinder: cryptic (ladrão que utilizava tatuagens com poderes e manipulava a realidade), dread (medo transformado em arma) e o marksmen (especializado em ataques a distância).

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

À primeira vista parece uma classe que utiliza poderes psiônicos para fortalecer suas inclinações naturais. São três, por sinal, sendo obrigatório escolher uma no primeiro nível: Cryptographer, Infiltrator, ou Morphean. O primeiro parece ser um estudioso de padrões, o segundo aproveita e manipula esses padrões e o terceiro se especializa em padrões ligados diretamente a seres vivos. O texto explicativo provavelmente precisa de um pouco mais de clareza quanto à diferença entre os três, que estão sutis demais.

E apesar das referências às três classes, só enxergo o Cryptic em todo lugar, nada quanto a medo ou distância. Obviamente dei apenas uma olhada por cima, então posso não ter encontrado as referências certas ainda, ou talvez estejam escondida na lista de 40 poderes psiônicos.

Deviam ter começado o teste com essa parte! Tem mais cara de uma publicação com o espírito de Starfinder: um amálgama de elementos clássicos mas com abrangência muito maior. A primeira parte é basicamente uma conversão do material já existente. Quanto a ela, aproveitaram vários dos meus comentários sobre aspectos mecânicos das raças, mas ignoraram minhas análises e sugestões quanto ao “fluff”, o texto de enfeite que tem pouco efeito prático no jogo, mas providencia algum contexto sobre os personagens. Fui meio brutal, é verdade, sugerindo modificarem todas elas com algum tipo de reviravolta inesperada ou pura maluquice, mas, em minha defesa, achei o material normal demais. Até as raças malignas ficaram neutras, e ainda enfiaram um retcon horrendo na história dos meio-gigantes.

Acho que vou começar pela autohipnose, já que as classes geralmente são destrinchadas por muitas pessoas, e depois uma olhada na utilização de poderes psiônicos. Espero que tenham incluído vários que se conectem à tecnologia futurista do sistema.

Fonte: Dreamscarred Press

Tagged ,

Adaptação de Gunnm tem estética peculiar

Alita: Anjo de Combate, adaptação norte-americana do mangá Hyper Future Vision Gunnm, ganhou seu primeiro trailer. Rosa Salazar é a protagonista Alita, uma ciborgue de corpo inteiro resgatada do ferro-velho pelo cientista Ido (Christoph Waltz). Enquanto tenta recuperar sua memória e se adaptar à nova vida, ela começa a caçar ciborgues criminosos. Lançamento em julho do ano que vem.


© Twentieth Century Fox

A direção é de Robert Rodriguez, que coescreveu o roteiro com James Cameron e Laeta Kalogridis (Exterminador do Futuro: Gênesis). Também estão no elenco Jennifer Connely, Michelle Rodriguez, Ed Skrein, Mahersala Ali, Jackie Earle Haley, Casper Van Dien e Jeff Fahey.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Eu sei. Os olhos são horríveis, ridículos, grotescos, etc.

Mas após assistir a essa abominação algumas vezes, é impossível não questionar: no que estão pensando? Todos os ciborgues obviamente são feitos em computação gráfica ou são uma composição de CG em cima de pessoas com roupas verdes (caso do Ed Skrein, provavelmente), mas nenhum deles se destoa tanto do resto quanto a Alita. Será esse o padrão de um ciborgue de corpo inteiro, ter as feições exageradas em relação a pessoas normais? Nesse caso poderiam ter incluído pelo menos mais um exemplar desse modelo, já que nem as outras bizarrices conseguem competir com o rosto dela.

Ou será uma homenagem ao mangá, e por isso resolveram estilizar o rosto dela como se fosse um personagem de histórias em quadrinhos japonesas? Caímos no mesmo problema, por que apenas ela? No original ela é uma personagem bonita, mas não se destaca dos demais desse modo. Será que a produção já respondeu ao escárnio generalizado com uma explicação plausível?

Me ocorreram outras bizarrices quando vi o trailer pela primeira vez: aquele artista que inventou versões realistas de desenhos animados, como os Simpsons; e Uma Cilada para Roger Rabbit, mas com atores interagindo com animes.

Talvez seja apenas o que acontece quando você junta o Rodriguez e Cameron em um projeto, dois cineastas que não acreditam em sutileza. E pela quantidade de romance no vídeo, esse provavelmente vai ser um dos pontos centrais do filme – não que estivesse ausente do mangá, mas com tão pouco tempo em um filme, que tal variar um pouco das outras dezenas de distopias adolescentes nos cinemas?

Fonte: IMDb

Tagged

Dois e-books grátis de ficção científica neste natal

A editora Phoenix Pick está distribuindo este mês dois e-books de seu catálogo. O primeiro é Double Star, de Robert A. Heinlein, sobre um ator que se vê envolvido em uma conspiração interplanetária. Também estão disponíveis com desconto Podkayne of Mars e Time for the Stars, do mesmo autor.

Esse fascínio por formas de energia humanoides…
© Phoenix Pick

O segundo é Soulmates, de Mike Resnick e Lezli Robyn, coletânea de contos sobre almas gêmeas de variados tipos e espécies. O livro já havia sido colocado à disposição em julho deste ano. Outra publicação da dupla, em parceria também com Larry Hodges, When Parallel Lines Meet, está à venda com desconto na mesma promoção.

Para baixar os livros ou fazer suas compras, basta ir até a página http://www.phoenixpick.com/botm/Christmas.htm e seguir as instruções.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Talvez você não conheça os nomes Heinlein e Resnick, caso tenha menos de 40 anos, então é bom esclarecer: são multi-premiados escritores de ficção científica da era dourada do gênero, quando politicagem não contaminava demais as premiações mundiais.

Heinlein faleceu há algum tempo, deixando como legado mais popular Tropas Estelares e Estranhos em uma Terra Estranha. Já Resnick continua na ativa, publicando com regularidade. Sua bibliografia é vasta, mas acho que dá para destacar Lucifer Jones, Starship e Santiago, sem falar na quantia absurda de contos e trabalhos como editor.

Vou tentar passar alguns meses apenas na base de livros gratuitos. Dando uma olhada na minha crescente biblioteca na Amazon, percebo que estou comprando um pouco mais rápido do que estou lendo, mais ou menos na proporção de 20 para 1. Assim que der uma reduzida na pilha retomo as aquisições.

Estou evitando até olhar minha lista de desejos em livrarias online, para não esbarrar nos descontos do dia. São minha principal, quase única, fonte de compras. US$ 1,99 é covardia.

Fonte: Newsletter da Phoenix Pick

Tagged
Advertisements