Monthly Archives: November 2016

Hordas de mortos vivos e um bárbaro com espada

A penúltima edição do ano de Conan the Slayer está disponível em lojas especializadas e na internet a partir desta semana. A revista continua a saga do bárbaro e sua tribo de mercenários nômades do deserto, os kozakis, enfrentando uma briga entre irmãos por controle do grupo, e também uma horda de mortos vivos.

Faz tempo que ele não enfrenta um vampiro. Será que aceitam sugestões?
© Dark Horse Comics

São 32 páginas por US$ 3,99, com roteiro de Cullen Bunn, arte de Sérgio Dávila e cores de Michale Atiyeh.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Estava me planejando para comprar outra edição encadernada do Conan pela Mythos Editora no final de ano, mas o lançamento de Blame! e Ghost in the Shell pela JBC adiaram indefinidamente esse planos. Estou em uma onda cyberpunk tão dominante ultimamente que não tenho me interessado nem por jogos, livros ou mesmo RPGs de fantasia – até paralisei a campanha de Pathfinder que obrigava meus filhos a participarem.

Em compensação estou lendo um livro atrás do outro remotamente com esse tema (ficção científica militar é cyberpunk do ponto de vista das forças armadas – pode acreditar), e acumulando jogos de computador em promoção na mesma vertente (prestes a terminar Shadowrun Hong Kong, e daí pular para Technobabylon). Sem falar em Interface Zero 2.0, adaptação cyberpunk de Pathfinder – como vão lançar o manual principal em janeiro com apenas uma aventura, planejei uma campanha por conta própria e escrevi o esqueleto de três aventuras, só precisando definir as estatísticas das pessoas/robôs envolvidos, e alguns diálogos chave.

Não escrevia uma aventura desde os ano 90. Após retomar o passatempo com Pathfinder, no máximo modifiquei módulos prontos e escrevi um ou dois encontros/combates. Esse material próprio está ficando tão bacana que penso em traduzi-lo e soltar na internet – a escassez de material para o cenário talvez atraia usuários. O problema, para variar, seriam os mapas. Aprender a fazer alguns razoáveis ocuparia mais tempo do que escrever a campanha toda.

Fonte: Dark Horse Comics

Tagged ,

Derivado de Star Wars tem personagem inovador

Rogue One: Uma História Star Wars chega aos cinemas no dia 15 de dezembro, a pouco mais de duas semanas. O filme se passa entre os episódios III e IV da franquia, e mostra os esforços de um pequeno grupo de rebeldes para roubar os planos de construção da Estrela da Morte.



© Disney

Estão no filme Felicity Jones, Mads Mikkelsen, Alan Tudyk, Diego Luna, Forest Whitaker, James Earl Jones, Jimmy Smits, Warwick Davis, e Riz Ahmed. A direção é de Gareth Edwards, diretor de Godzilla. O roteiro tem quatro escritores, cujos currículos incluem A Bússola de Ouro, a franquia Bourne, Depois da Terra e um deles sendo um novato completo.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Esse é o primeiro experimento da Disney com a franquia, sua tentativa mais escancarada de recuperar o dinheiro gasto na aquisição, indo além dos lucrativos Episódios. Se a coisa der certo, vão continuar fazendo mais dessas produções em curtos intervalos, explorando nichos pouco conhecidos e o passado de celebridades desse universo. Provavelmente deveriam ter começado com o filme do Han Solo.

Os primeiros trailers me deixaram apenas desanimado, com seu cortejo politicamente correto de minorias rebeldes e história irrelevante. Mas dando uma geral nos vídeos recentes, que estão saindo praticamente a cada dois dias, achei um personagem original, ameaçador e cativante – o robô K-2SO, homenagem da franquia ao androide Marvin, de O Guia do Mochileiro das Galáxias.

Até que enfim um droid que não é alívio cômico. Provavelmente não é o suficiente para justificar o filme inteiro, mas pelo menos é algo inédito nessas trilogias sem fim.

Fonte: Slash Film

Tagged ,

Até O Mágico de Oz ganha remake sombrio

O canal americano NBC vai lançar uma série adaptando o Mágico de Oz com temas adultos, sombrios e violentos, sob o título Emerald City. Vincent D’Onofrio intepreta Oz, dando apoio a um elenco pouco conhecido vindo de outros programas de televisão e filmes de baixo orçamento. O primeiro episódio vai ao ar em janeiro de 2017.


© NBC

A direção dos 10 episódios é de Tarsem Singh, conhecido por filmes com estilo visual único e exagerado, como A Cela e Espelho, Espelho Meu.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Apesar das minhas baixas expectativas ao ler a sinopse desse programa, acho que me impressionei um pouco mais do que acharia possível. Visualmente é bem atrativo. O problema é que você relembra o tempo inteiro que o material de referência é o Mágico de Oz, e acaba rindo involuntariamente. Talvez isso ajude a atrair público, pelo menos para os episódios iniciais: o contraste, a curiosidade para ver porque diabos autorizaram filmar isso. Mas se o show se leva tão a sério quanto dão a impressão, pode acabar sendo acidentalmente cômico. Uma paródia sem a intenção.

Pior que essas versões de contos de fada violentos e sombrios já acumularam um belíssimo prejuízo em Hollywood, mas insistem no tema. O próprio diretor foi responsável por uma dessas bombas, na adaptação de A Branca de Neve citada no segundo parágrafo.

Provavelmente é o apelo da marca mundialmente reconhecível, e não precisar pagar royalties ao autor ou família (no caso de Oz, acho que a obra não está em domínio público nos EUA).

Geralmente finalizo mencionando que vou conferir pelo menos um episódio antes de descartar, mas nesse caso abro mão. Estou fora.

Fonte: Deadline

Tagged

Conan Exiles vai abrir mais cedo para entusiastas

Conan Exiles, novo jogo da Funcom na franquia Conan O Bárbaro, vai ser lançado em “early access” no final de janeiro do ano que vem. A modalidade permite a jogadores acessarem o produto ainda em estágio inicial ou intermediário de desenvolvimento, com vários aspectos ainda inacabados ou não testados profundamente.


© Funcom

Neste título os usuários precisam construir todo tipo de objeto, começando por suas próprias ferramentas e armas, e tentar sobreviver ao brutal mundo de Conan. Poderá ser jogado sozinho ou em multiplayer.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Muitos sentimentos ambíguos quando a esse Conan Minecraft. Enquanto o mapa para novatos do MMORPG Age of Conan me proporcionou alguns dos momentos mais divertidos em um jogo desse estilo, os mapas normais são incrivelmente chatos, banais e repetitivos. Parece que colocaram o pessoal topo de linha na produção dos primeiros 20 níveis, e depois deixaram o resto do jogo nas mãos da equipe em treinamento.

A perspectiva de poder jogar isso em single player me deixa feliz, já que o aspecto online parece ser cada vez mais o ponto fraco da empresa. Mas os aspectos técnicos necessários para construir um jogo de mundo aberto e focado em crafting provavelmente estão consumindo todos os recursos a disposição – será que vão conseguir elaborar uma campanha também?

Fonte: Videogamer

Tagged ,

Prequel de Astro Boy chega em 2017

O manga Atom the Beginning vai ser adaptado em uma animação com lançamento previsto para 2017. A história é um prelúdio de Astro Boy, mais famosa criação do mangaká Osamu Tezuka, sobre um robô com aparência de menino e capaz de sentir emoções.


© Production I.G.

A história em quadrinhos foi criada por Tetsuro Kasahara, cujo mangá mais popular se chama Ride Back, sobre motocicletas robotizadas. A série teve 10 volumes publicados e uma adaptação para anime em 2009.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Estava tentando organizar minhas memórias quanto a Astro Boy. Lembro de ter visto a adaptação americana, acho que dublada pelo Frodo, e talvez alguns episódios de uma série para TV na década passada, mas disso não tenho certeza alguma. O manga acho que nunca foi lançado aqui – as editoras preferem o material mais “maduro” do Tezuka, como sua série sobre o budismo.

Com certeza vou conferir esse anime no próximo ano – a combinação de um visual mais realista para o robô principal com a aparência típica dos personagens do Tezuka ficou chamativa. Mas fiquei curioso mesmo para ver esse Ride Back, sobre os mechas que viram motos ou algo assim. É uma pequena variação sobre o tema, mas pelas imagens promocionais parece ótimo.

Fonte: Anime News Network

Tagged

Segunda antologia Star Wars ganha nome conhecido

Emilia Clarke (A Guerra dos Tronos) é o terceiro nome no elenco do filme de Han Solo, clássico personagem da franquia Star Wars. Ainda sem um nome, ela vai se juntar ao comediante Donald Glover e a Alden Ehrenreich como as versões jovens de Lando Calrissian e Han Solo, respectivamente. Lançamento previsto para maio de 2018.


© Walt Disney Pictures

Phil Lord e Christopher Miller, dupla responsável por Uma Aventura Lego e o remake de Anjos da Lei, são os diretores. Lawrence Kasdan, veterano da franquia, escreve o roteiro com seu inexperiente filho Jon Kasdan.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Acabei deixando passar a oportunidade de noticiar a contratação do Donald Glover (por semanas achei que fosse piada), mas aproveito para retificar a injustiça com esse post. Espero que pelo menos esse prelúdio seja um pouco mais interessante que O Despertar da Força – não acredito que tive que verificar se o título era esse mesmo – e os soníferos trailers de Rogue One: Uma História Star Wars.

Acho que o público não vai se voltar contra a nova trilogia dupla de Star Wars do mesmo jeito que se voltou contra a segunda trilogia do George Lucas, mas se continuarem com esses filmes desmotivados, a trégua vai durar pouco.

Meu filho tem as duas trilogias originais em DVD, já assistiu-as um par de vezes. Mas desde que fomos ver o episódio VII nos cinemas, nunca pediu para ir de novo ou teve qualquer interesse em comprar o filme para sua coleção. Nem o desenho animado, Star Wars Rebels, consegui convencê-lo a assistir no Netflix.

Acho que a Disney, justo ela, não está conseguindo clonar a sensação de contos de fadas do original. Por enquanto, do escasso material produzido, está faltando alma.

Fonte: Coming Soon

Tagged ,

Deadpool 2 contrata diretor mais econômico

O boato que circulava há algumas semanas se tornou realidade com a contratação de David Leitch para a direção de Deadpool 2. O filme deve ser lançado em março de 2018, trazendo de volta Ryan Reynolds como protagonista e boa parte do elenco original, além de introduzir os personagens Cable e Domino na franquia de mutantes da Fox.

Último filme divertido que vi nos cinemas
© Fox

O dublê profissional David Leitch começou sua carreira como diretor em De Volta ao Jogo, dividindo a função com outro colega da área, Chad Stahelski. Enquanto este último está ocupado com a continuação desta nova franquia de Keanu Reeves, Leitch está trabalhando no drama de espionagem The Coldest City.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Não tive vontade de reproduzir as fofocas sobre a demissão do diretor original, Tim Miller – acusaram o cara de querer melhorar a qualidade da continuação, o que aumentaria os custos em até 200%. Não sei de onde tiraram esses cálculos, provavelmente do chapéu de algum executivo que gostaria de repetir os lucros do primeiro filme mantendo o orçamento baixo.

Por outro lado, muitas continuações de sucessos inesperados tendem a se autodestruir quando injetadas com dinheiro extra, como a trilogia Matrix, Homens de Preto e Riddick. Talvez haja um pouco de sabedoria no meio dessa ganância?

Que coincidência, os exemplos de péssimas continuações com orçamento inchado que me vieram à cabeça são justamente de ficção científica. Huh.

Fonte: Bleeding Cool

Tagged

Ghost in the Shell também ganha versão impressa

A Editora JBC colocou em seu catálogo o mangá The Ghost in the Shell, obra original de Masamune Shirow sobre um grupo de soldados que enfrenta inimigos utilizando alta tecnologia. São 352 páginas pelo preço sugerido de R$ 64,90, sem data de lançamento oficial.

30985395041_271d748d18_z
© JBC

A publicação é censura 18 anos, devido às cenas de sexo e violência.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Conforme prometido ontem, um post cyberpunk para encerrar a semana. Estava lendo uma versão de baixa qualidade dessa obra, mas ao saber do lançamento iminente parei tudo. Prefiro aguardar pela versão impressa mesma, que segundo boatos deve ir para as distribuidoras após um evento em dezembro.

Vi muitas reclamações quanto ao preço, mas como raramente compro qualquer coisa em papel hoje em dia, não me incomodou tanto. Pelo menos é de um tamanho razoável, e a quantidade de páginas impressiona. Parece que vão coletar todo o mangá nesse volume único. Espero!

Fonte: JBC

Tagged

Colaboração Affleck-Lehane chega em breve

O novo drama policial de Ben Affleck, A Lei da Noite, ganhou seu segundo trailer. O filme chega aos cinemas em janeiro do ano que vem, trazendo criminosos em guerra durante o período em que o comércio de álcool estava banido nos EUA.


© Warner Bros

Além de protagonizar, Affleck também escreveu o roteiro e dirigiu o longa. Acompanham ele no elenco Scott Eastwood, Elle Fanning, Zoe Saldana, Sienna Miller, Anthony Michael Hall, Brendan Gleeson e Chris Cooper.

A produção adapta o livro Os Filhos da Noite, de Denis Lehane, lançado no Brasil pela editora Companhia das Letras.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Trailer parecido demais com o primeiro, com alguns momentos dramáticos que ficaram meio cômicos, de tão deslocados no meio da ação. Admito que postei isso aqui apenas para limpar o palato, após tanto escrever sobre ficção científica.

Mas amanhã ela volta, e justamente em meu gênero predileto: cyberpunk.

Mwahahahaha.

Fonte: Criminal Element

Tagged

Ghost in the Shell ocidental ganha trailer

Após vários teasers de segundos, está disponível o primeiro trailer de tamanho normal de Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell. Com direção de Rupert Sanders (Branca de Neve e o Caçador), o filme traz Scarlett Johansson como a Major, uma ciborgue de corpo inteiro liderando uma força internacional de caça a criminosos que empregam alta tecnologia em seus atos. Lançamento em março do ano que vem.


© Paramount Pictures

Também estão no elenco Takeshi Kitano, Michael Wincott, Juliette Binoche e Rila Fukushima. O roteiro é de Jonathan Herman (Straight Outta Compton: A História do N.W.A) e Jamie Moss (Os Reis da Rua).

O longa é uma adaptação do manga original de Masamune Shirow, com influência dos longas animados e das séries de anime para televisão.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

A nacionalidade dos personagens nunca me incomodou para começo de conversa (é uma adaptação ocidental, então podem mudar o que quiserem – o potencial de lucro numa produção dessas é muito mais importante que fidelidade ao material original). Estava realmente preocupado com o visual e a trama.

Quanto ao visual, não tenho mais temor algum – acho que mantiveram o espírito dos filmes e ainda adicionaram um toque próprio, talvez até melhorando um pouco. O roteiro, porém, ainda me incomoda. Pelo teaser parece que criaram um conflito novo para a protagonista, sobre suas memórias serem falsas (algo parcialmente trabalhado na terceira série animada) e a deixaram um pouco mais emburrada do que nas animações. Talvez funcione para essa versão, não sei… só espero que não retirem demais a sua praticidade para resolver problemas, com tiros ou pancadas.

E nem dá para reclamar muito dessa nova personalidade… a versão animada é completamente diferente do mangá, onde ela faz piadas e palhaçadas o tempo todo. É um choque ler os quadrinhos depois de ter acompanhado somente os animes, onde apagaram todo o humor e sexo.

E não reclame do título nacional. O original é apenas mais um exemplo de “engrish” japonês, para soar bacana, mas sem muito sentido. “All You Need is Kill”? “Skip Beat”?

Fonte: Deadline

Tagged