Exorcista (TV) encontra sua Ellen Burstyn

Geena Davis é o primeiro nome conhecido no elenco de The Exorcist, seriado de televisão baseado no filme e livro dos anos 70. Ela interpreta Angela Rance, religiosa mãe de duas meninas que começa a suspeitar que uma delas é vítima de possessão. O episódio piloto deve ser lançado ainda este ano.

Aposto que tu ouviu a música tema ao ver essa imagem! Seu velho!
©  Warner Bros

Rupert Wyatt (Planeta dos Macacos: A Origem) dirige este primeiro episódio, com roteiro de Jeremy Slate, responsável pelo roteiro do Quarteto Fantástico mais recente, e pela adaptação americana do manga Death Note, ainda em pré-produção.

No filme original, Ellen Burstyn interpreta Chris MacNeil, mãe da possuída Regan MacNeil, personagem de Linda Blair. O longa foi dirigido por William Friedkin, com roteiro do próprio William Peter Blatty, escritor do livro O Exorcista.

________________________________ ◊ Opinião ◊ ________________________________

Planejei mal essas postagens – dois dias seguidos falando de potencialmente catastróficos remakes dos anos 70. Enquanto ontem achei problemas no elenco e diretor, e elogiei o roteirista, hoje é o contrário: diretor competente e atriz razoável encabeçando o elenco, mas um escritor com currículo horrendo.

E não entendi as alterações nos nomes e na estrutura familiar – fica quase óbvio demais que vão incluir uma reviravolta quanto a qual das crianças está possuída. Por qual outro motivo inventariam uma segunda delas? No original Chris e Regan estão sozinhas, dando uma sensação maior ainda de desamparo e desespero a toda a situação delas. Mas se você começa a inchar a família, esse aspecto da trama vai por água abaixo, abrindo espaço para outros tipos de conflito – no caso, a criança que fica em segundo plano devido à doença do irmão. Não me impressionou, mas se você vai esticar o Exorcista em várias horas, vai precisar mesmo encher linguiça.

O original é um estupendo horror psicológico, provavelmente o melhor do gênero. Se apostarem mais nesse aspecto do que em efeitos especiais diabólicos, o seriado de televisão pode se tornar um excelente produto. Mas como está nas mãos da Fox, é melhor ter expectativas mínimas a não existentes.

Último horror psicológico que assisti foi o Babadook. Por alguns instantes o treco foi extremamente incômodo, quando a possibilidade do “monstro” existir somente na cabeça da mãe foi trabalhada, ou seja, o filme estaria apenas mostrando uma pessoa ficando louca. Mas daí estragaram isso completamente. Assista você mesmo e confira.

Fonte: Coming Soon

Tagged

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s