Labyrinth, de Lois McMaster Bujold

O exército de mercenários espaciais Dendarii está em um dos piores planetas do setor, com duas missões. Uma delas é oficial: comprar um monte de armas sem documentação alguma. Já a outra…


© Baen

Miles Naismith Vorkosigan, ou melhor, Almirante Naismith, levou seu exército de mercenários até Jackson’s Whole, o planeta com a interpretação mais liberal do conceito de “leis” existente neste setor. Oficialmente vieram comprar armas evitando a necessidade de se preocuparem com a burocracia – mas na realidade estão a comando do império Barrayar, com a missão de interceptar um cientista genético interessado em abandonar seu chefe atual. Tudo parece estar indo bem, mas o desertor escondeu sua pesquisa dentro de um dos seus espécimes, um tipo de super-soldado híbrido. E a criatura infelizmente foi vendida para um dos Barões locais, especializado em clonagem e experimentos nessa área, sem muita preocupação com o lado ético dos negócios.

Após discordar dos termos de troca, que incluiriam amostras genéticas suas e de alguns colegas, Miles resolve liderar um pequeno grupo de infiltração. O objetivo é penetrar em uma fortaleza, matar o experimento, retirar a pesquisa escondida em sua perna, e sair correndo. Mas o grupo acaba capturado, e enquanto seus subordinados conseguem fugir, Miles é trancafiado no subsolo de um laboratório, onde o tal super-soldado está preso. Sozinho, sem armas ou equipamentos de qualquer tipo, o Almirante Naismith precisa escapar desse labirinto e ainda cumprir sua missão. E para piorar, seu alvo está faminto.

A flat nose, ridged, powerful brows, high cheekbones. Hair a dark matted mess. And yes, fully eight feet tall, a rangy, tense-muscled body.

Por que ler?

Que saudades de Miles Vorkosigan. Estatura diminuta, costas encurvadas, ossos frágeis como vidro, doentio e suscetível a todo tipo de alergias, além de maníaco-depressivo. E um absoluto gênio tático. É um prazer tremendo acompanhar o jovem herdeiro dos Vorkosigan transformar sua aparência em uma arma e seu desespero em uma ferramenta para escapar. Enquanto pessoas normais desistem, o forte instinto de sobrevivência e talento para argumentar conseguem tirá-lo das piores situações possíveis; e nesse história ele encontra uma bem peculiar. Da meia dúzia de livros da saga Vorkosigan que já li, esse certamente traz uma das fugas mais interessantes.

Curiosamente, Labyrinth, apesar de situado em um dos cenários mais terríveis do universo criado por Lois McMaster Bujold, não retrata o mesmo nível de violência e consequências que você encontra nos demais livros. Existe claramente um elemento de horror genético presente, mas acho que os personagens não chegam perto dele o suficiente para criar um suspense razoável. Eles saem um pouco limpos demais da experiência toda, o que não acontece no livro que vou resenhar semana que vem, dentro dessa mesma saga.

Labyrinth
Lois McMaster Bujold
Baen Books
80 páginas

A editora americana Baen Books publicou algumas coletâneas da saga Vorkosigan, e Labyrinth pode ser encontrado em Miles, Mystery and Mayhem, que também inclui o excelente Cetaganda e Ethan of Athos (estou empacado nesse) por US$ 5, em vários formatos eletrônicos.

Tagged

One thought on “Labyrinth, de Lois McMaster Bujold

  1. […] deixam cicatrizes profundas nele e em sua força mercenária. Enquanto no livro anterior, Labyrinth, o objeto da história ficava um pouco distante dos personagens principais, aqui todos estão […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s