Monthly Archives: April 2011

Uma nova comédia de ladrões

Lupin III, manga de comédia e ação sobre um ladrão famoso vai ganhar uma nova série animada para TV. Esta é a quarta vez que o personagem é adaptado para anime, além de já ter aparecido em filmes, uma outra série irregular de animações e até em um crossover com o Detetive Conan. A nova empreitada deve chegar aos televisores japoneses no outono deles, ou seja, entre setembro e novembro deste ano.


© TMS Entertainment

Acho que assisti a apenas um episódio de Lupin na época que o Animax passava animes e usava o nome Locomotion. O treco pareceu divertido, mas a arte antiquada me deu a impressão que estavam passando uma série de décadas atrás. Hoje em dia já descobri que é apenas a identidade visual do treco, e vou tentar assistir ao longa Castle Cagliostro para compensar minha ignorância quanto à essa franquia. Não sei quando ou como, porém.

Fonte: Anime News Network

Nerd Político IV

Se alguém me dissesse que ia ter pouco do que falar sobre entretenimento na política, eu diria que tal cidadão é doido. Com um ministério, comissões e o cambau para tratar do tema, como poderia haver uma escassez de notícias? Daí essa semana aconteceu.

Vamos lá, impostos e um teco de direitos autorais, existe coisa mais divertida?
_______________________________________________________________

ICMS do comércio eletrônico gera reclamações de estados consumidoreslink

No meio da discussão sobre a guerra fiscal entre estados, um tenebroso exemplo é sempre jogado no meio da conversa: a cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) do “comércio eletrônico” (como o Congresso se refere a compras feitas pela internet), atualmente restrita ao estado de onde o produto sai, enquanto o estado onde o consumidor reside não fica com nada.

É claro que os estados que estão de fora querem uma fatia do bolo, e se, por exemplo, o Projeto de Lei Complementar 3/11 fosse aprovado, eles teriam direito à imposto correspondente “à diferença entre a alíquota interna e a interestadual”, como já é feito no comércio não-eletrônico.


© Agência Câmara

Juntando o pedaço pertinente do artigo 4º da Lei Complementar 87/1996 (onde o ICMS foi criado) com o PLP 3/11, ficaríamos com o seguinte: “É também contribuinte a pessoa física ou jurídica que, mesmo sem habitualidade ou intuito comercial: adquira, sem intermediação, mercadorias ou bens por meio da Internet, ou por qualquer outro meio, oriundos de outro Estado, qualquer que seja a sua finalidade.

Estou tentando nadar e não apenas boiar, mas pelo que deu para entender, é a pessoa que compra algo através da mágica da internet, em um estado diferente de onde está situada a loja, que vai ter que pagar o imposto. A loja paga na origem, e você paga no destino. Não entendi como isso é “dividir o ICMS entre os estados”, me parece apenas que o comprador entra com a bunda e o estado de destino com a bota. Se eu estiver errado, me corrijam.

© Planalto

De acordo com a justificativa do projeto, essa arrumação de algum modo vai igualar o consumidor eletrônico ao consumidor normal, cujos impostos sobre circulação de mercadorias são divididos e deixam todo mundo feliz. Consideremos que isso seja verdade, já que está escrito em papel. Se o estado de origem tiver que dividir sua verba com outro, é claro que ele vai dar um jeito de cobrar a mais ou até mesmo arrancar um imposto novinho em folha da loja, para não ter que perder arrecadação. E se o lojista tem que pagar mais imposto, adivinha em quem ele vai descontar essa diferença? Se não sabe a resposta, sugiro procurá-la no fundo de um espelho.

Felizmente livros não pagam ICMS, e são a única coisa que compro pela internet (como se as lojas não fossem tentar recuperar o prejuízo aumentando o preço de tudo). Agora fiquei encafifado quanto a comércio eletrônico que não envolve mercadorias ou bens físicos: será que você precisa pagar ICMS para fazer compras no Steam? E para pagar a mensalidade do seu MMO predileto?

Será que ninguém pensou nisso ainda? Porque basta enfiar uma ou outra palavrinha na Lei Complementar 87/1996 para isso virar realidade…
_______________________________________________________________

Brasil abre consulta pública sobre mudança na Lei de Direito Autorallink

Que rapidez. Entre colocar o texto da reforma disponível ao público e abrir para sugestões foi pouco mais de um mês. Já baixei o formulário para enviar a minha sugestão de mudança no artigo 41, mas o treco é praticamente um relatório, você tem que embasar a sua idéia, justificar, explicar, detalhar e encontrar o macaco de jade antes da meia-noite.

Quem sabe passo para a etapa seguinte e discutem minha sugestão no Congresso. Aham.
_______________________________________________________________

Até sexta.

Curtas 29/04/11

APOLLO 18, uma mistura de horror e ficção científica filmado como se fosse um documentário nos anos 70 ganhou uma nova data de estréia. Apesar de ter sido produzido em pouquíssimo tempo no início do ano, o longa já foi adiado até 2012, mas agora deve sair em 26 de agosto de 2011 ainda. O trailer não é lá grande coisa, e tenho a impressão que isso deve estar remotamente relacionado a essa indecisão toda. Clique na foto abaixo para assistí-lo, se estiver curioso. Fonte: Slash Film


© Dimension Films

Após a debandada de Zach Galifianakis, R.I.P.D. estaria de olho em Jeff Bridges para o papel de co-protagonista. Baseado em uma história em quadrinhos da Dark Horse Comics, o filme trata de um departamento de polícia responsável por patrulhar o mundo dos mortos. Ryan Reynolds está cotado para protagonizar, se conseguir se afastar dos filmes de super-herói. Outra mistura de investigação com sobrenatural, que bom. Pelo menos não é um seriado de televisão. Fonte: Coming Soon


© Polygram Filmed Entertainment

Esse anel não chega nunca

Aaron Campbell, o produtor de Lord of the Rings Online (LOTRO) publicou recentemente uma “carta” comentando o estado atual do jogo e planos para o futuro. Um dos dois principais MMORPGs free-to-play da Turbine, Lotro está passando por uma uma das fases “mais ocupadas de sua história, e um dos melhores momentos para se jogar”, segundo Campbell. Apesar de terem lançado uma atualização em março, já tem uma nova planejada para maio, com mais mapas e missões.


© Turbine

E no outono (que no hemisfério norte se refere aos meses de Setembro a Novembro) pretendem lançar a expansão Rise of Isengard, que vai incluir 10 níveis a mais para personagens evoluírem, totalizando 75; as novas regiões de Dunland, alguma coisa em Rohan e a própria Isengard, onde fica a torre do mago Saruman; e uma raid inédita para 24 pessoas, cujo chefe final é um dragão.

Lord of the Rings Online é um MMO supimpa, mas para aproveitar bem o treco o ideal é abrir um pouco da carteira todo mês. Tem um bocado de conteúdo grátis, verdade (bem como modos de coletar pontos fazendo farms de quests repetitivas para comprar conteúdo), mas se quer se divertir sem perda de tempo, pagar uma mensalidade ainda é o melhor caminho. Infelizmente.

Fonte: Turbine

Deuses intrometidos e inúteis

Immortals, espécie de adaptação de um pouco da mitologia grega ganhou seu primeiro trailer oficial. O vídeo se concentra basicamente no vilão Hyperion (Mickey Rourke) e no herói Teseu (Henry Cavill), sem explicar muito bem qual é a trama ou quem são os demais personagens envolvidos.


© Universal Pictures

A presença dos deuses gregos se faz óbvia quando efeitos especiais estão em uso (exceto apenas pelo arco mágico do protagonista), mas o tipo de interação que existe entre mortais e imortais também não ficou muito explícita. O longa estréia em novembro desse ano.

A produção até que está caprichada, mas alguma coisa está estranha. A cena do Teseu discursando teve tão pouco impacto, e para falar a verdade a coisa toda ficou meio… desconfortável? Bem estranha, de qualquer modo. A câmera lenta em algumas cenas de ação está mais cômica do que dramática, e o capacete de coelho do Rourke quase enterrou o filme para mim.

Fonte: iTunes Trailers

Curtas 28/04/11

Mantendo minha constante vigília quanto a notícias sobre ELYSIUM, novo filme de Neil Blomkamp, temos uma pequena novidade vinda de Jodie Foster (Valente). Segundo a atriz, sua personagem é uma “líder de estado de um planeta alienígena” e é meio malvada. Ela também comentou que acha que o diretor vai explorar temas semelhantes aos de Distrito 9, ou seja, injustiça social, desigualdade econômica e exclusão. E aposto que com algumas explosões e perseguições para manter o povo comendo pipoca acordado. Fonte: io9


© Warner Bros

Meio chato colocar notícia que já saiu em todo canto, mas só para não passar em branco, Antje Traue (Pandorum) teria entrado para o elenco de MAN OF STEEL. A atriz aparentemente vai interpretar a vilã Feora, que juntamente com Zod devem atrapalhar a vida de Clark Kent. O filme vai ser dirigido por Zack Snyder e deve ser lançado apenas no final de 2012. Eu diria que ele está com a faca no pescoço, e se ferrar com esse projeto também não vai conseguir se recuperar tão cedo. Fonte: Blastr


© Constantin Film Produktion

Coisas alienígenas pontudas voadoras

Aparentemente as naves arredondadas que foram vistas nos fundos da foto do vilão Shockwave não eram mera decoração. A produção de Transformers: Dark of the Moon liberou uma imagem oficial destacando o veículo misterioso, que tem sido comparado a versões mecânicas de baratas ou tatus de jardim. O filme estréia em 1 de julho desse ano no Brasil.


© Hasbro

Que me lembre o Megatron no primeiro e único filme era quase do tamanho de um prédio por conta própria, então esse tatu espacial me parece meio pequeno para transporte. Minha aposta é que se trata de um animal doméstico de Cybertron, trazido pelo vilão para a Terra só para se exibir. Que nem aqueles traficantes que criam leões em casa.

Fonte: Bleeding Cool

Vidas Históricas: Winston Churchill

Uma breve biografia cobrindo a vida toda do político Winston Churchill, famoso por seu papel como primeiro-ministro britânico durante a Segunda Guerra Mundial.


© Nova Fronteira

O livro começa pela origem de Churchill, sua família e sua infância. O autor não procura encontrar traços que futuramente explicariam o sucesso de Winston como estadista, ou seja, ele não tenta encontrar o político na criança, apesar de destacar um pouco de sua personalidade precoce.

O início de sua carreira na Câmara dos Comuns e as tentativas de se fazer presente na Primeira Guerra Mundial são impressionantes, e agora sim começam a espelhar seu desempenho no futuro. Churchill possuía uma quantidade incrível de tenacidade e ousadia em tudo que fazia, bem como uma inacreditável falta de tato. Vários de seus erros são apontados tão claramente quanto seus acertos.

O auge da história obviamente começa às vésperas da Segunda Guerra Mundial, quando Churchill dá uma bola dentro ao prever o potencial agressor de Adolf Hitler e seu regime nazista. Até chega a ser criticado pelos defensores de negociações pacíficas, mas quando a Alemanha começa a invadir seus vizinhos, logo o colocam no poder e vão para a guerra.

“Para muitos liberais, Churchill se transformara em um gastador incondicional e seu interesse e entusiasmo pelos assuntos navais se manifestavam de forma quase belicosa.” pg. 75

Por que ler?

Já vou declarar aqui meu interesse pelo tema Segunda Guerra Mundial, e também reconhecer meu insuficiente conhecimento quanto à participação inglesa no conflito. Para quem, como eu, só leu e assistiu sobre a presença dos EUA na guerra, Stuart Ball criou um belo aperitivo. E agora fiquei com vontade de ler a autobiografia de Churchill sobre a Segunda Guerra Mundial, mas parece que no Brasil só temos disponível uma versão resumida, em dois volumes.

Um porém, talvez devido à brevidade do livro, ou talvez por sua própria origem, é que o autor presume que seus leitores entendem bem o sistema político britânico, bem como suas principais figuras históricas. Uma consulta à wikipedia se faz necessária conforme a necessidade surge.


© Nova Fronteira

Vidas Históricas: Winston Churchill
Stuart Ball
Editora Nova Fronteira
256 páginas
R$ 54,90

O livro custa uma nota devido à qualidade do papel e por ser bem ilustrado, mas meu pai comprou-o em uma promoção da Saraiva, que estava desovando boa parte de seu estoque de não-ficção por meros R$ 9,90. Foi uma ótima oportunidade.

Curtas 27/04/11

Mais uma curta sobre elenco, já que a esse hora, todo o resto do mundo já está sabendo. Javier Bardem foi contratado para protagonizar THE DARK TOWER, uma adaptação de livros do Stephen King que deve render três filmes e uma série de televisão. Bardem vai interpretar Roland Deschain, um pistoleiro que viaja através de dimensões. Ainda não é o bastante para me convencer a ler a coisa toda, mas provavelmente assistirei à versão cinematográfica. Se bem que adaptações do King não costumam se sair lá muito bem nos cinemas ou TV. Fonte: JoBlo


© Miramax

GREEN LANTERN, filme de super-herói que pode tanto ser uma das grandes decepções da Warner Bros este ano ou seu primeiro blockbuster na categoria, acaba de ganhar um reforço. Esqueça roteiro, elenco ou direção, porém. A dois meses de sua estréia, o longa vai receber uma injeção de US$ 9 milhões de dólares em… efeitos especiais. Depois do fiasco dos trailers anteriores os estúdios esperam resolver tudo na base do CGI. E é claro que disseram para ninguém se preocupar, que estão apenas “adicionando coisas para deixar o filme melhor até a décima-primeira hora” (taí uma expressão que não se traduz bem). Ou seja, não contaria muito com uma sequência se fosse você. Fonte: Slash Filme


© Warner Bros

Investigação sobrenatural é a nova tendência?

O site io9 publicou um artigo analisando profundamente 17th Precinct, novo seriado policial criado por Ron Moore, responsável pelo remake de Battlestar Galactica. No meio da atual safra de dramas que misturam investigação criminal com elementos fantásticos, este talvez possua maior cuidado com a criação do cenário e pequenos detalhes do que os demais.


© James Callis

A série se passa em uma realidade alternativa, praticamente contemporânea, mas onde a magia é uma coisa comum, substituindo avanços tecnológicos por melhorias arcanas. As casas, por exemplo, possuem plantas que produzem energia para alimentar utensílios domésticos. A trama do episódio piloto em si circula em torno de duas duplas de policiais que investigam crimes diferentes, e como uma investigação funciona em um mundo onde tudo é mágico.

Sei lá, não parece algo viável a longo prazo. Pelo menos não é mais um “detetives em um cenário de contos de fadas” como estão fazendo em pelo menos outros três seriados, esse parece inventar suas próprias maluquices. Também torço para que uma das séries estreladas por “Edgar Allan Poe Investigador Paranormal” seja boa, mas aposto que nada ou quase nada desse pacote vai sobreviver até 2012.

Fonte: io9